sábado, junho 25, 2011

Matando a língua de Camões!

Depois de nos terem enfiado o nefasto Acordo Ortográfico, coisa completamente abjecta e absolutamente nenhum préstimo eis que do país irmão suje mais uma pérola do saber, ressalve-se que até no Brasil, algumas pessoas mais atentas e capazes, referem o livro editado pelo ministério de educação do Brasil, “Por uma vida melhor”, como um dos maiores atentados à língua portuguesa de sempre, acrescento eu que a fazer fé no que foi publicado na revista brasileira “Isto É”, aquele manual não é só um atentado é uma absoluta cavalidade, chamar asnos aqueles que o produziram e permitiram publicar e distribuir como sendo um manual didáctico, é ser simpático, quando eu pensava que a imbecilidade tinha limites, pois parece que não.
O tal manual, diz que frases oriundas da expressão oral, são aceitáveis, num contexto mais coloquial e mais académico, baixando assim ainda mais a fasquia do já péssimo uso que se faz da língua, por exemplo enquanto escrevia estas linhas na TVI, passava uma nota de rodapé em que o singelo manjerico, estava grafado como mangerico, numa clara falta de competência linguística de quem insere as tais notas. Voltando ao tema, um diálogo perfeitamente aceitável segundo o tal manual do ministério da educação do Brasil, poderá ser algo como o seguinte.
- Você viu os livro?
- Sim está perto dos janela!
Parabéns ao Ministério da Educação do Brasil, não poderiam ter melhor desempenho em defesa da língua e da boa educação de um povo, com sorte no próximo acordo ortográfico já encontraremos estas boas novidades.

Editorial da Revista Isto É


Um abraço, deste vosso amigo
Barão da Tróia

1 comentário:

Diannus do Nemi disse...

Pois é... Algo natural em uma língua viva em constante mudança e transformação (nunca "evolução")...

Abraços!