sexta-feira, setembro 26, 2008

Homenagem a António Variações

Maria de Lurdes deixa que eu te diga....
Maria de Lurdes deixa que eu te diga....

Essa tua Educação eu sei que não é um espanto mas
percebe-se que não é cá da terra e tem
tem pouco encanto
Essa tua Educação eu sei que não é um espanto mas
percebe-se que não é cá da terra e tem
tem pouco encanto

Maria de Lurdes como foste nessa
de chamar Educação à tua confusão
Maria de Lurdes como foste nessa
de chamar Educação à tua confusão

Maria de Lurdes deixa que eu te diga....
Maria de Lurdes deixa que eu te diga....

Essa tua Educação só deseduca
nem é cá da terra nem tem aplicação
tem muito de maluca
Essa tua Educação
no modo como nos ocupa
tem sabor a inquisição


Maria de Lurdes como foste nessa
de chamar Educação à tua confusão
Maria de Lurdes como foste nessa
de clamar vitória onde só há desilusão

Maria de Lurdes deixa que eu te diga....
Maria de Lurdes deixa que eu te diga....

Esse teu nome eu sei que não é um espanto mas
é cá da terra e tinha
tinha algum encanto
Esse teu nome ficará na memória mas
cá na terra levará ao pranto

Maria de Lurdes como foste nessa
de ser Ministra de tal salsada
Maria de Lurdes como foste nessa
de chamar Educação à tua trapalhada

que já estava bem complicadinha e muito queimadinha (repetir)

Obs: A rima é pobre, a métrica miserável, perdoem ao escriba, "quem te manda a ti sapateiro, tocar rabequão", que poeta nunca será, mal engenho lhe queda para ao correr, botar a pena a discorrer, por cima de talhas e untos sobre este e outros assuntos.

Um abraço, deste vosso amigo
Barão da Tróia

2 comentários:

deep disse...

A métrica e a rima da Educação em Portugal é que não têm remédio, pelo menos não nos tempos mais próximos.
Tapa-se o sol com a peneira, atira-se areia para os olhos, usa-se o pretexto de "sair da cauda da Europa" neste domínio, obriga-se os professores a passar mais horas na escola, a andar literalmente aos papéis, quando a motivação é apenas economicista (e irracional, só eles não vêem). Neste momento, a escola é tudo menos um local de trabalho sério. Aos professores, exige-se um empenho de 24 horas; aos alunos permite-se que fiquem de braços cruzados... para quê trabalhar, se passam da mesmam forma e até entram em Medicina sem terem feito o secundário?

Bom fim-de-semana. :)

ALG disse...

Amigo Barão isto está cada vez pior sem se ver a luz ao fundo do túnel! Estamos tramados com tal gente a (des)governar, é o que é.

Cumprimentos