quarta-feira, janeiro 02, 2008

Ano novo, burradas velhas

Desponta o novo ano entre as nuvens da tormenta, os tímidos raios de Sol, trespassam de forma ténue o negrume, augúrios de novas vidas de esperanças renovadas, a rapaziada está afoita, para dar uns bafos é preciso ter cuidado, que os talibãs anti fumo, vigiam com olho de águia, ai do pobre criminoso fumante que lhe cair nas garras.

A natureza renova-se, tal como a estupidez, ouvi hoje que as escolas públicas com nomes de Santos e Santas do panteão católico vão ser rebaptizadas, a bem do estado laico e democrático, pois realmente a estupidez dos homens, ano após ano ao invés de diminuir, vai-se renovando e engrandecendo.

Sou um ateu convicto, não militante mas convicto, acho as beatices uma sensaboria de cretinos e lorpas, acho as religiões todas estúpidas, mas não me importa em absoluto que fulano seja Católico, beltrano Judeu ou sicrano Evangélico, aliás estou-me nas tintas, claro está que a sua ratice de sacristia não interfira na minha vida, que o meu vizinho seja muçulmano e queira ter barbas até aos pés e que a matrona dele ande envolta em tapeçaria só com os olhos de fora, não tenho nada que ver com isso, acho estúpido, mas não tenho nada o objectar, tenho quando o meu vizinho tenta impingir-me as farsolices em que acredita, aí alto e pára o baile.

Por causa desta sã convivência democrática, é que acho completamente abjecto, estapafúrdio e estúpido, que se retirem os nomes das escolas, que têm nomes de santos ou santas, em nome de que sacrossanta imbecilidade é que se vai fazer semelhante aberração, contente ficaria se o Governo e o seu Ministério da Educação, estivessem preocupados com a violência na escola, com a falta de disciplina, com a falta de qualidade, com a falta de condições que roça, por vezes o miserabilismo.

Contente ficaria eu se o Governo, resolvesse incluir a Pré-primária no sistema de ensino, acabando de uma vez por todas com a aberração desta Educação terceiro mundista que se faz por cá, que os senhores governantes estivessem preocupados com a falta de meios na escola, não foi uma nem duas nem três as vezes que quem comprou, papel higiénico, produtos de limpeza e material didáctico, para a escola foi a minha mulher, porque o dinheiro não chega, não foi a primeira nem a centésima vez que faço horas extraordinárias a ajudar a minha mulher a fazer material, em casa para cumprir com as imbecilidades dos ministérios da educação que inventam planos e projectos cretinos para encher tempo e torrar a paciência aos docentes.

Mudar o nome de uma escola, só porque tem um nome de santo deveria ser para aí a tricentésima milionésima preocupação de um ministério da Educação que tem escolas miseráveis e com desempenhos tão medíocres como aquelas que temos por cá, mas como quem não tem nada para fazer inventa, os senhores do governo lembraram-se desta, que realmente é de bradar aos céus.

Um abraço de Bom Ano Novo deste vosso amigo

Barão da Tróia

11 comentários:

Francis disse...

Ano novo, vida velha.
Também sempre pensei que deve (ou devia haver) uma espécie de lista de prioridades.
Ou então, na escola, "No pasa nada". A Educação funcionará bem assim que se alterarem o nome das Escolas.

Muita saúde, paz, amor, politicos honestos e dinheiro!
Se calhar é melhor contetarmo-nos apenas com saúde e paz!!!
:-)

Andreia do Flautim disse...

Espero que tenhas um bom ano novo!

Isabel-F. disse...

esta de mudar os nomes de escolas é inacreditável ...


ainda não tinha ouvido falar disso ...

sem dúvida duma cretinece de bradar aos céus ...


beijinhos e um bom ano novo parati

125_azul disse...

Vão gastar pouco dinheirinho dos nossos impostos com mais esta mudançazinha, vão! cagandas bestas, não têm mais que fazer?
feliz ano, caro barão

Marco disse...

Vamos supor o caso de um escritor, orador e diplomata português do séc. XVII, que tenha defendido entre outras coisas, os direitos dos povos indígenas no Brasil, a abolição da escravatura, as discriminações e perseguições contra os judeus… Poderia esta personagem dar nome a uma escola publica portuguesa?

Parece que não!

O Padre António Vieira, o mais prestigiado jesuíta lusófono de todos os tempos não poderia dar nome a uma Escola Pública.

Savonarola disse...

Caro Barão,
Apoiado! É de bradar aos céus! (Sabendo de antemão que estes não nos ouvem, o que é um desperdício...) Rebaptizar - lol - escolas é o mesmo que pôr uma embalagem nova num produto estragado, um atentado contra a saúde pública. Física e mental.
Feliz Ano Novo!

nabisk disse...

E diria mais!!!
Ano Novo a cheirar a velho.
Ou será que vai mudar alguma coisa?
A não ser que os senhores gestores de....levem aumentos inferiores a 3 ou 4 por cento.
Para todos nós que vamos andando com a cabeça entre as orelhas, e que a pouco estamos habituados, cá nos vamos amanhar em 2008 a esperar que 2009 seja melhor.

Anónimo disse...

Só admira a IGREJA estar tão quietinha.
Não á SANTOS que nos valha.
Novos IMPRESSOS, novos SELOS , novos EDUCADORES.
Vai ser um maná para alguns.
E vão chamar o PADRE para REBATIZAR as escolas de novo ????.
touaqui42

Ana disse...

Um bom ano e que continues com mta inspiração para escrever ;)

António Lisboa Gonçalves disse...

Ano novo mas com as mesmas imbecilidades! Estamos tramados com eles, amigo Barão.

LUA DE LOBOS disse...

como diria a nossa querida Ivone Silva :
Tá tudo grosso!!!
Prá esquerda e prá direita!