segunda-feira, junho 04, 2007

Simplex Deles – A Novela da Vida Real - Episódio Primeiro de Vários

O Barão inicia hoje de novo, este primeiro episódio foi publicado exactamente há uma semana, a saga de Ladislau Lorpa, personagem que o Barão espera que venha a reaparecer noutras torpes escrevinhadelas.

O sol já despontara no firmamento, Ladislau Lorpa, sentia-se feliz, munido dos seus diplomas, seguia pelo passeio que pisava com cuidado para evitar a nefasta bosta de canídeo, tinha também de evitar os carros, motos e lambretas, caixotes de lixo e postes, que habitam nos passeios das cidades da Lusitânia, ao mesmo tempo ia atento ao céu porque à insuspeita janela já assomava a madame que sacudia o lençolzito, prenhe do pentelho da noite e do ocasional resto dos humores líquidos provenientes das cavalarias amorosas, daqueles a quem a noitada correra menos-mal, é que o fato era novo e Ladislau não o queria ver estragado, logo no dia da entrevista.

Chegara à porta da Comissão de Autónoma de Colocações Administrativas a famosa C.A.CA. que desde a instauração do famoso “Simplex”, servia para colocar quem concorria a lugares da Administração pública. Ali chegado olhara em redor e o ar circunspecto dos seus comparsas de espera era confrangedor e não augurava nada de bom, além ao fundo, uma tipa já entradota, soubera que era doutorada pela Sorbona, roía as unhas, as olheiras denunciavam a noite mal dormida, na cadeira do fundo um tipo engravatado, cabeleira arrepiada para trás, empastada com gel, lia um jornal daqueles que saem só ao Sábado cheios de letras a dizer coisa nenhuma e que pouco mais são do que grandes meios de propaganda do partido do dono desses jornais. No balcão uma miuda loira platinada com um decote até ao umbigo mascava pastilha e jogava tétris no computador, era a secretária presumiu Ladislau.
- Ladislau Lorpa sala 3. – Ouviu-se na sala, o som roufenho e encanecido típico destas instituições. Ladislau levantou-se e seguiu as placas, entrou no elevador, até ao 3º andar, virou no primeiro corredor à direita, desceu 2 degraus entrou na segunda porta à esquerda, passou o átrio com as fotografias dos antigos presidentes, bateu na segunda porta à direita e pois claro enganou-se.

– É no corredor seguinte quarta porta à direita! – Resmungara entre dentes um manga-de-alpaca apanhado a ler uma revista daquelas da moda e dos mexericos, claro em plena hora de expediente.

(Continua amanhã no próximo episódio)

Um abraço deste vosso aamigo

Barão da Tróia

7 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Que foi fazer ele à sala três?

Jade disse...

Uma blogosérie... Boa! Também entraste na onda?
Aguardo pelas aventuras e desventuras de Ladislau Lorpa.

Mentiroso disse...

Bela história descritiva da hipocrisia da situação.

"colocar quem concorria a lugares da Administração pública"? Só se forem os lugares do fundo da escala, que os outros estão permanentemente reservados ao parasitas das oligarquias. Não é estranho que tantos reclamem de "coisinhas" façam tantas lamúrias (justificadas), mas ninguém aluda, sequer, à fonte de todos os problemas?

Já agora.
Respondi ao teu bem vindo comentário no meu blog e tentei enviar-te um aviso automático de resposta. Mas falhou porque não tens o perfil publicado, portanto sem e-mail para mandar o dito aviso. Podias publicar um perfil mesmo em branco, ou quase, em que houvesse um e-mail acessível.

SA disse...

essa novela do funcionalismo público pressinto que vai ser um sucesso. assenta que nem uma luva no seguimento de algumas críticas que aqui tens deixado :)
beijos

nabisk disse...

Esperemos pelo próximo episódio.

Savonarola disse...

Fico em suspense, à espera da continuação. De qualquer forma, se a ideia do sujeito é arranjar emprego através do Simplex ou de qualquer outra forma inventada por este governo neo-fascista do Sócrates, bem pode tirar o cavalinho da chuva!
Um abraço

chanesco disse...

O Ladislau é Lorpa ou querem fazer dele um lorpa?

Um abraço raiano e boa semana