segunda-feira, maio 28, 2007

Simplex Deles – A Novela da Vida Real - Episódio Primeiro de Vários

O sol já despontara no firmamento, Ladislau Lorpa, sentia-se feliz, munido dos seus diplomas, seguia pelo passeio que pisava com cuidado para evitar a nefasta bosta de canídeo, ao mesmo tempo atento ao céu porque à insuspeita janela já assomava a madame que sacudia o lençolzito, prenhe do pentelho da noite e do ocasional resto de cavalarias amorosas daqueles a quem a noitada correra menos-mal, é que o fato era novo e Ladislau não o queria ver estragado, logo no dia da entrevista.

Chegara à porta da Comissão de Autónoma de Colocações Administrativas a famosa C.A.CA. que desde a instauração do famoso “Simplex”, servia para colocar quem concorria a lugares da Administração Pública. Ali chegado olhara em redor e o ar circunspecto dos seus comparsas de espera era confrangedor, além uma tipa já entradota, soubera que era doutorada pela Sorbona, a pobre, roía as unhas, as olheiras denunciavam a noite mal dormida, na cadeira do fundo um tipo engravatado, cabeleira arrepiada para trás, empastada com gel, lia um jornal daqueles que saem só ao Sábado cheios de letras a dizer coisa nenhuma e que pouco mais são do que grandes meios de propaganda do partido do dono desses jornais.

- Ladislau Lorpa sala 3. – Ouviu-se na sala, o som roufenho e encanecido típico destas instituições. Levantou-se e seguiu as placas, entrou no elevador, até ao 3º andar, virou no primeiro corredor à direita, desceu 2 degraus entrou na segunda porta à esquerda, passou o átrio com as fotografias dos antigos presidentes, bateu na segunda porta à direita e pois claro enganou-se. – É no corredor seguinte quarta porta à direita! – Resmungara entre dentes um manga-de-alpaca apanhado a ler uma revista daquelas da moda e dos mexericos, claro em plena hora de expediente.

(Continua amanhã com o próximo episódio)

Um abraço, deste vosso amigo

Barão da Tróia

7 comentários:

Eric Blair disse...

ki pón

Andreia do Flautim disse...

Humm, e como acabou?

Eric Blair disse...

depois de morrer viveram felizes para sempre...

Anónimo disse...

Falta muito para acabar
touaqui42

pechanense disse...

Esta novela é muito mais cativante do que a tal ficção da freira chocolateira, mas que não sabe fazer chocolate e também não é freira, mas anda com o patrão, tem uma consciência que anda sempre a apanhar laranjas e mostra à miudagem que é giro viver uma vida de mentira... A tua novela é muito mais realista!

Não vou perder um só episódio.

Um abraço!

antónio paiva disse...

.................

Caro Amigo,

isto cheira-me a uma bela caldeirada sem peixe

;)

..................

Abraço e boa semana

GATO ESCALDADO disse...

Fico à espera do segundo episódio. Um abraço