quinta-feira, maio 10, 2007

Eles São os Maiores, do Mundo, do Universo e quiçá da Galáxia…and beyond…

Há tempos li um blogue onde o seu autor declarava, o seu desagrado pelas crónicas depressivas do dizer mal constante, pois porque será, discorria o camarada sobre a justeza de dizer bem das coisas belas que temos por cá, apesar de achar que o senhor em questão vive no mundo da Lua, aquele texto tocou-me, por isso vou falar de uma coisa boa, boa não, óptima, qual óptima qual carapuça, excelente, não, mais ainda, soberba, não… esperem mais ainda, uma coisa, hiper, mega, ri-fixeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!

Essa coisa são os nossos inefáveis Médicos, essa classe formada por super criaturas, devotadas inteiramente ao bem servir a nobre causa da saúde de outrem. Devo dizer que fiquei aturdido no outro dia, enquanto degustava uma sápida lasca de pata de reco barrancanho, recomendo, dizia eu, que enquanto desenfastiava a barriguinha; na TV, passava uma nova, que dizia haver sido condenada uma médica nos Açores a uma determinada pena, por, segundo apurou o sapiente colectivo de Juízes, outra classe profissional de eleição, a senhora doutora metera por assim dizer a pata na poça.

Levantei-me de um salto e arregalei os ouvidos e tirei a cera da orelheira, lá poderia ser, condenarem uma profissional dessas, uma senhora Doutora, ainda por cima por negligência, facto do qual resultara a morte de uma mulher de 22 anos, asmática, à qual a Médica terá ministrado medicamentos contra indicados para portadores de semelhante patologia, a pena em si era irrelevante, 18 meses de pena suspensa e 125 mil euros de indemnização, mas o facto de condenarem a Médica isso sim era relevante, cheguei a temer o pior.

Entretanto no dia a seguir a RTP, passava uma reportagem sobre casos de negligência médica, aliás alegada, porque raramente isso fica provado, foi gratificante ouvir as doutas palavras do senhor Bastonário da Ordem dos Médicos e perceber, que os Médicos sofrem bastante com esta exposição pública, desmesurada e que a OM, ela própria tem inquéritos e toma decisões ferozes, os senhores Doutores arriscam penas pesadíssimas, podem estar mesmo à vontade uma semana sem puderem dar consultas, pavoroso não concordam. Obrigado senhor Bastonário pelas suas preclaras e instrutivas palavras, o que seria desta horda de bárbaros sem a OM e os seus associados.

De volta à Médica condenada, como disse, eu cheguei a temer o pior, vocês não querem lá ver que finalmente alguém vai começar a disciplinar esta gentalha, que finalmente os cepos dos governantes vão legislar no sentido de proteger as pessoas. Fui apurar melhor a notícia, então percebi, a Médica condenada era uma filha da Santa Mãe Rússia, que fugida ao cabo da vassoura ou ao ferro de engomar conseguira que lhe reconhecessem o diploma e fora encafuada nos Açores, para onde ninguém quer ir, anteriormente já envolvida num outro caso de negligência esse de junto com senhores Médicos Lusos, dera em nada, como alias dão sempre estes casos.

Fiquei mais descansado, afinal a ordem fora restabelecida, afinal a médica era Russa, por isso tinham condenado a senhora, jamais condenariam um senhor Doutor português, porque os senhores doutores de Portugal são infalíveis, nunca se enganam, nunca erram, as outras classes profissionais deveriam olhar para este saudável exemplo, todas esses classes profissionais de rebotalho que por aí vegetam e que são despedidos ou acusados de negligência profissional, pedreiros, construtores civis, operários, polícias, bombeiros, motoristas de autocarro, enfim toda essa gentinha miserável com essas profissões de cacaracá, mirem-se no exemplo dos doutos Doutores, na sua incomensurável sapiência. Não existem Médicos negligentes existem é doentes incompetentes!

P.S. – Um destes dias, que tenham tempo escrevam a palavra “malpractice”num yahoo ou num google, só para verem a diferença, dos exemplos que vão encontrar e aqui da parvalheira.

Um abraço, deste vosso amigo

Barão da Tróia

15 comentários:

Isabel-F. disse...

... ouvi a notícia ... e...
pensei o mesmo que tu ...

finalmente ....

só não tinha chegado a perceber que a médica é russa ...

bom ... nem comento mais ...
palavras para quê???

ontem tb deu na TV uma reportagem sobre partos em que vieram a nascer crianças com graves deficiências .. devido a negligência médica ....

vivemos num sítio nojento ... e fazemos parte dele .... é triste ...

bjs

Patrícia Pêra disse...

Na Rússia é que eu não ia ao médico! :)

Diabólica disse...

Penso da mesma forma, aliás se tives-te oportunidade de ver os meus posts" A medica de família mata ou trata", e "morfina grátis no Garcia da Horta", percebes isso bem.

E o pior, é que como tu dizes, eles sabem q são deuses, intocáveis.

Relembro-te a frase da miha médica de família: " Contra médicos e advogados ng se mete".

Acho que só isto diz tudo, depois como é q a saúde no país não há-de andar assim???

Beijinhos diabólicos

Andreia do Flautim disse...

Pois, o médicos também erram, são humanos!

RCataluna disse...

Deve ser a classe mais corporativista deste país!!

SA disse...

é vergonhoso a impunidade médica em portugal. se calhar só a condenaram por ser estrangeira, russa.

Anónimo disse...

UMA MÃO CHEIA DE CHAPLIN
DE 23 A 31 DE MAIO 2007
NO JARDIM REPÚBLICA EM ALMEIRIM


Este ciclo de cinema planificado para ser exibido ao ar-livre é organizada pela Câmara Municipal de Almeirim e tem a sua programação assinada pela Círculo Solar- Maternidade de Ideias.

Inteiramente dedicado ao génio de Charlie Chaplin os cinco filmes que enchem esta mão, demonstram bem talento do autor-total. Todos os filme apresentados são realizados, musicados, interpretados pelo próprio Chaplin.

O Jardim República, fica no centro de Almeirim. Charlie Chaplin justifica a viagem e Almeirim vale a visita.

A entrada é livre.


PROGRAMAÇÃO

SESSÃO DE ABERTURA - Quarta-feira 23 de Maio 2007, 21:30h
* O Miúdo – 68' – 1921 – filme mudo

Quinta-feira, 24 de Maio 2007, 21:30h
* A quimera do Ouro – 92'–1925 – filme mudo

Sábado, 26 de Maio 2007 , 21:30
*O Circo – 96' - 1928 – filme mudo

Quarta-feira 30 de Maio 2007, 21:30
*Tempos modernos – 83' - 1936 – filme mudo

SESSÃO DE ENCERRAMENTO, Quinta-feira, 31 de Maio 2007, 21:30h
* O Grande Ditador – 120' – 1940 – filme sonoro

Blossom disse...

passei para desejar um excelente fim de semana

A. João Soares disse...

Caro Barão,
Como meter os doutores na ordem? Era preciso que outros médicos comprovassem que ele errou. Ora eles protegem-se para que amanhã não venham a ser vítimas da avaliação dum colega. Portanto médico não erra.
Com os advogados já não é bem assim, pois o Vale Azevedo foi condenado, porque os juízes detêm o poder. Mas os juízes são impunes e se alguém reclama para o tribunal europeu e este dá razão ao recorrente, quem paga é o Estado, todos nós, e não o magistrado que errou. São como Deuses no Olimpo onde ninguém os pode beliscar... e ganham fortunas, com muitas benesses extras.
Um abraço

Anónimo disse...

Tanto alarido pela condenação de um Médico e por sinal estrangeiro.
Que raio já não nos chega ter POLITICOS AMESTRÁDOS que no PRESENTE temos médicos emprestádos e imcompetentes neste País.
Basta reparar em REPORTAGEM e NOTICIAS numa IMPRENSA DIÁRIA para se verificar imcompetencias e banalidades num SECTOR que se deixou ir para a RUINA (SAUDE).
Que raio, fala-se em ABORTOS mas no presente existe tantos ABORTOS a PRESTAR SERVIÇO numa SAUDE de CÁRÁCÁCÁ que mete AFLIÇÃO.
Pode ser que como se fala em REMODELAÇÃO DO GOVERNO que as MOSCAS MUDEM para enfeitar a MERDA.
Para quando a MUDANÇA do PM.

Alien David Sousa disse...

Caro Barão, a merda toda para falarmos como deve ser, está no facto de os médicos lidarem com vidas humanas. E quando há negligência médica, antes do caso chegar à ordem dos médicos eles começam logo a "tapar" as provas e encobrem-se uns aos outros. O que é triste porque não nos sentimos seguros. Um dia estamos a ouvir na televisão que uma rapariga de 22 anos morreu e amanhã podemos ser nós.
Tenho conhecimento de casos, em que a família tentou saber quem foi o médico que atendeu a pessoa em questão e no hospital não lhe deram a informação, alegando que não sabiam porque não tinham as informações dos turnos visto que muitos médicos trocam de turnos entre si.
É uma classe que se protege. O que torna inválido o juramento que fazem após acabarem o curso.
Tens razão quando ironizas que a impunidade dos médicos portugueses é lei neste país. E que quem olhe de fora parece que estes nunca erram. Mas erram e muito. Também é ridículo ouvir o que a OM diz quando se refere às " penas" que os médicos estão sujeites. Uma vida humana por uma semana sem pratica medicina? It's a joke!

O problema é sempre o mesmo. Falta de provas. É por este motivo que não se consegue condenar um médico neste país. Falta de provas e encobrimento das mesmas. Como há encobrimento os interessados, as pessoas que perderam alguém nunca conseguem obter provas suficientes para levar o processo para a frente. Ao ponto de retirar a licença ao médico.
E o triste no meio disto tudo é que esse médico pode vir a matar alguém, se é que não matou já.


Não entendo por que raio esta classe que devia de se preocupar em primeiro lugar com os doentes, se preocupa primeiro com os seus.
Até os advogados, que têm fama de serem corruptos, muitos deles lutam por colocar outros da sua classe na cadeia.
Por isto, acho que algo está muito podre neste mundo da medicina.

Bom Post
Saudações alienígenas

Professorinha disse...

Também ouvi a noticia e quando soueb. no fim, que a doutora era Russa logo se fez luz na minha mente! Afinal se fosse portuguesa jamais poderia ser condenada pois esse são inalcansáveis!

Fica bem :)

Casemiro dos Plásticos disse...

isto é que vai aqui uma açorda oh meu caro Barão!
boa semana

Francis disse...

He, he, he! Gostei. Finalmente escreveste uma crónica onde tudo acabou bem! :-)

Utzi disse...

Não me canso de te ler... dizer mal assim tão bem é um talento :)

Um beijo