terça-feira, março 27, 2007

Ele é o Maior?

O maior português de sempre, foi eleito. As hostes regozijam-se, ganhou aquele que os votantes elegeram com o maior de todos, Oliveira Salazar. Dos, fazendo fé nos números, 159.245, votantes, cerca de 40% votaram em Oliveira, numa extraordinária reviravolta, Oliveira ficou à frente de pessoas verdadeiramente interessantes e extraordinárias de génio, como Pessoa, Sousa Mendes ou Camões, esse facto parece ser suficiente para provar que todas as vezes que tenho dito que nós portugueses somos uns canhestros imbecis, tive sempre razão.

Este concurso, foi um “fait diver”, imbecil, começando pela apresentadora, aquela senhora esgalgalhada, ex-jornalista, ex-deputada, ex-adida cultural e ex sei lá que mais, os resultados do concurso seriam sempre inconsequentes, no entanto sempre passíveis de algum tipo de leitura subliminar. Este concurso foi uma espécie de teste de popularidade do actual PM.

Os camaradas que votaram, fizeram-no, uns por brincadeira, outros por razões ideológicas, outros ainda porque não tinham mais o que fazer. Os resultados foram surpreendentes, a malta adora ditadores, em primeiro colocaram o Oliveira, a mais rematada cavalgadura do século XX lusitano, rato de sacristia rodeado de uma oligarquia cleptomaníaca que depauperou esta terra, em cabedais guerras e outros disparates, em segundo Cunhal, o camarada do comité central, aspirante a ditador, que teve o azar de lhe cortarem as asas, também assim como assim se não tivéssemos sido nós a por termo às suas tropelias e à peregrina ideia da sovietização de Portugal teriam sido os ianques, como alias hoje se sabe, não é à toa que a base aérea de Torrejon esteve em alerta desde 74 até 78, com a esquadra ianque do atlântico sempre de olho atento ao que se passava cá no burgo.

Percebem agora porque é que o nosso PM, continua com índices de popularidade altíssimos, a malta adora ditaduras, gajos com tomates de aço e mãos postas a rezar o terço.

Interessa também perceber, porque se vota em Oliveira, aqui os actuais politiqueirotes de pacotilha poderiam ir colher umas lições, uma questão tão simples como a segurança, no tempo de Oliveira, passava-se fome, vivia-se miseravelmente, mas como é sabido, quem mictava fora do penico, levava nas orelhas até criar bicho, a ciganada andava na linha, a escumalha em geral era reprimida com punho forte, como deveria ser hoje, o advento da democracia, trouxe esta coisa da anarquia parcial em que vivemos, onde a rataria e a escumalha fazem o que querem e só não roubam mais porque não conseguem, porque essa também é a nossa sorte, os ladrões que temos são uns asnos.

Outra razão por votarem como votaram é uma razão cultural, Oliveira e Cunhal, eram os únicos que a malta conhecia, quem é que conhece Pessoa, excepto meia dúzia de intelectuais, ratos de biblioteca, Camões então só sabemos que era zarolho, ah e escreveu aquela cena os Lusíadas, parece que escreveu nos cantos, gajo complicado este Camões! Sousa Mendes, era o quê? Conçule, que raio é isso? Porra e D. João II, caramba, isso foi há que tempos.

Pois se uma coisa este concurso mostrou foi a incomensurável pobreza franciscana que ocupa as cabeças da lusitanidade, resumindo, a conclusão mais lógica deste concurso é que continuamos pobres, asnos e com a mania das grandezas!

P.S. Malta estou sem PC, por isso não vos tenho visitado, hoje cheguei mais cedo ainda ao trabalho para actualizar aqui o Barão, Boa semana.

Um abraço deste vosso amigo

Barão da Tróia

30 comentários:

Daniela Mann disse...

ahhh não acredito que ele ganhou!!!
Anda tudo doido!
Abraços meu amigo

Lumife disse...

Bom retrato da nossa terra. Resultado da votação a guerra de sempre entre a direita e a esquerda... que nada traz de bom.
A rtp e não só pode limpar-se a este "guardanapo" ...

Vamos ao que importa:

Já anotei a tua possível presença no 2º ENCONTRO DE BLOGS EM ALVITO A 21 DE ABRIL.

Podes crer que terei o maior prazer em nos conhecermos e conviver um pouco.

Um abraço

Blossom disse...

Pois...é que nem vale a pena matar a cabeça a pensar no porquê!!! O povo português não aprende...

Boa semana

Menina disse...

Uns minutos melhor, outros pior... é a "terrível" doença a consumir-me.
Uma beijoca

SA disse...

bom... na minha opinião muitos votaram só para incentivar ainda mais a polémica, para que o programa se tornasse ainda mais deplorável e rídiculo

Anónimo disse...

Pois não se acredita , mas a verdade é que continuamos vendo o passado a vir á tona , por interesses , por ignorância , não sei nem desejo saber.
Como já o disse tenho mais medo dos VIVOS que dos mortos , que aliás , apesar do acordo que fiz com o ALTISSIMO , desejaria viver até aos 150 anos para poder verificar até onde chega este PORTUGAL.
Não acredito nestes POLITICOS de meia tijela , de pacotilha , que só fazem leis para retirar a codea que o POVO consegue manter para matar a fome.
Se existe muitos que passam férias e manteem os voos cheios , existe muitos que não conseguem chegar ao fim do mês com o pouco que ganham.
Era nisso que se devia pensar e não em eleições baratas.
Não em receber subsidios para não produzir , pensar-se num futuro deste País.
touaqui42

Andesman disse...

Caro Barão, andaram para aí a chamar eleição a esta "parolada nacional". Claro que não houve eleição alguma! Os mortos não disputam eleições. O António, nunca gostou nem se deu bem com eleições, nunca ganhou umas eleições livres em vida. O Barreirinhas, seguidor da doutrina comunista que entende que as eleições são um acto burguês e que o povo não chega ao poder através de eleições, disse em 1975 numa entrevista à recentemente falecida jornalista italiana, Oriana Fallaci: que Portugal jamais seria uma democracia parlamentar. Como podiam ganhar depois de mortos uma coisa que sempre despresaram em vida. Depois, o pessoal que votou (não sei quantas vezes votou cada um)em vez de votarem em grandes figuras, votaram em ideologias e logo em extremos. Que lhe faça bom proveito a eles e à RTP. 1 abraço

Pitucha disse...

Gostei muito de ler este post e concordo em absoluto com o que dizes!
Beijos

Cherry Blossom Girl disse...

Realmente não era de todo aquele que eu escolheria!!!
Beijinhos
***

Utzi disse...

Eu acho que o próprio concurso é deplorável e completamente despropositado. Não vejo qualquer lógica em eleger uma só personalidade de entre várias e de tão distintas áreas, como o melhor português de sempre... é ridículo. Quanto ao resultado, acho que a ser verdade e não uma farsa, é no mínimo preocupante... que raio andam os portugueses a fazer??? Já não estudam??? Já não sabem ler livros de história??? Já não conhecem o significado da palavra DITADURA??? Já sei... andam distraídos a ver os reality shows da tvi...

Beijo

Andreia do Flautim disse...

Como é que é possível... :S

Aragana disse...

Eu acho que se a votação nao fosse paga o resultado seria outro.

tuga disse...

Olá . . . O que me traz aqui nao é propriamente o post. (já comentei sobre o assunto noutro blog) onde estava um coment seu e falava sobre a constituicao duma associacao para pessoas com deficiencia. Convido-o a visitar (http://www.artigosataxiashereditarias.blogspot.com/) um blog que administro, e do qual fazem parte gente com os mais variados tipos de ataxia, (muitos do concelho da Chamusca).

Talk Talk disse...

Não é dificil imaginar como ele ganhou. Se juntares os que votaram apenas por brincadeira, aos que votaram por ignorancia e àqueles que se juntaram em lobby e votaram, votaram, votaram, votaram...
Já agora, será que, como antigamente, os mortos também foram votar no Salazar?

Um abraço

Mocho Falante disse...

nem me digas nada...até já promovi a venda da minha nacionalidade

abraços

abril disse...

O Toino da Calçada ganhou porque não estavam a concurso o Tony Carreira o Marco Paulo o Valentim Loureiro ou a Fátinha do Saco Azul,estes sim valores representativos do solo patrio...Porque será que os espanhois não compram isto?Até podiam mudar o nome para Porcalhota,o hino passava a ser um Passe Doble e ainda levevam o Cristiano Ronaldo.Oh Afonso Henriques quem é que te mandou meter nisto?E ainda por cima deste porrada na tua mãe.Pobre país...

Savonarola disse...

159 mil e duzentos e quarenta e cinco votantes, não é indicativo de nada, excepto das preferências do eleitorado pela farinha Amparo! O que,no lamentável caso do Salazar, prova que o sabor está mas é desactualizado, bolorento.
Um abraço anarquista

_estrelinha_ disse...

peço desculpa pela minha ausencia ,as estou de volta para visitar este belo cantinho e desejar uma bela semana
beijinhos

o final online espero k gostes XXX

Eric Blair disse...

Que esperavas de um país reality-show?!
Abraço.

heresias consentidas disse...

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas nao esqueco que a minha vida e a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela va a falencia. Ser Feliz e reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensoes e periodos de crise. Ser Feliz e deixar de ser vitima dos problemas e tornar-se autor da propria historia. E atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oasis no recondito da Alma. E agradecer a Deus a cada manha pelo milagre da Vida. Ser Feliz e nao ter medo dos proprios sentimentos. E saber falar de si mesmo. E ter coragem para ouvir um "nao". E ter seguranca para receber uma critica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um Castelo!"
Fernando Pessoa

abraç
herc

jeremy disse...

pois eu acredito mesmo k portugal seja um país de ditadores lol se calhar gostam de ter a dita dura lol... obgd pla visita

RCataluna disse...

"...Camões então só sabemos que era zarolho, ah e escreveu aquela cena os Lusíadas..." - Demais!!!

Abraço!

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Barão:

Calma amigo... aquilo foi só folcore.
Só estou surprendido por ter acontecido na RTP... isso é que me preocupa, que tenha acontecido no único síto onde ainda se pode ver televisão... de vez em quando... e após boa selecção.
Não quero crer que esteja a seguir o (mau) exemplo dos outros canais.

A principal "estrela" responsável pela vergonha, a apresentadora, já deu o que tinha a dar e só mesmo com programecos deste calibre é que ela aparece.

Um abraço,

Professorinha disse...

Bem, 30 anos depois o Salazar ganhou uma eleição... Será que na altura dele as eleições seriam mesmo falsificadas como dizem que eram??? Se hoje, em liberdade, o pessoal vota nele...

Fica bem :)

JOVEM disse...

Adoro, comunistas desesperados... porque o maior Estadista de sempre - Salazar e agora O maior Português de sempre- ganhou! Já foram avisados que o comunismo acabou há muito tempo. Finalmente houve justiça histórica à pessoa de Salazar!

A Sonhadora disse...

Olha assino por baixo tudo o que aqui escreveste....e acho que a malta cá do burgo, tem memória mto fraca.....
devem sofrer todos de amnésia, é o que acho!!!
É vergonhoso, depois do 25 de Abril, que este gajo ...rato de sacristia, vá ganhar este concurso(seboso, sim!!!)mas que ainda deu esperança aos que tem boa memória, que pelo menos esse tivesse ficado em ultimo lugar...
Enfim e com papas e bolos....se enganam os tolos!!!
Um abraço da sonhadora

Nunovsky disse...

Simplesmente absurdo e medonho, tanto este programa como o seu resultado final. Colocou os tugas a falr de história, é verdade, mas de resto... o vazio foi total.
Isto já para não falar da vencedor da eleição, a única em que participou até à data, curiosamente...

filho adoptivo disse...

Quantos de vós já explicaram aos vossos filhos o que foi o período salazarista?
Quantos de vós já perguntaram aos vossos filhos se os seus professores costumam falar do assunto por exemplo na véspera do feriado do 25 de Abril?
Quantos de vós já conversaram uma vez ao menos com os vossos filhos sobre o que sigificam datas como o 10 de Junho, o 1º de Dezembro, o 25 de Abril? Não estou a insinuar nem por sombras que foram os mais novos que "elegeram" a fera extinta. O que estou a dizer, e não apenas a insinuar, é que temos todos de por a mão na consciência bem fundo na consciência. Qual teria sido o resultado do "voto", se apenas as mães cujos filhos ficaram enterrados no capim de Angola, nos pântanos da Guiné, na roças de Moçambique, se apenas elas tivessem sido chamadas a "votar? Nunca o saberemos, mas podemos fácilmente imaginar.

Miguel F disse...

Sempre incisivo e certeiro!

Abraços amigo

Manel do Montado disse...

Ilustre bloguistas

Urge, prima facie, esclarecer conceitos e colocar na prateleira respectiva da história a denominação de determinados regimes políticos e de organização do estado.
Se o regime de Salazar não era fascista era então o quê? – No mínimo e imbuído de uma benevolência intelectual, afirmo que o dito regime assentava basicamente nas ideias de Benito Mussolini, o qual dotou o estado italiano com o símbolo dos magistrados romanos (Littores); o machado representando o poder judicial (iudex) e as varas, simbolizando o povo romano, formando assim uma unidade inquebrável desde que as varas se mantivessem unidas. Daí lhe advém o nome.
Embora a simbologia militar ou a assumpção do militarismo como pilar do Estado Novo não fosse o forte de um homem inteligente mas perturbado na essência, assentava, o regime, em três princípios antagónicos na sua própria execução. O Deus, Pátria e Família, foram uma triste declaração de princípios que falhou ab initio.
Em que Deus humanista acreditava o homem criador da polícia política?
Em que Deus acreditava o homem que deu estrado a uma igreja que apregoava para os pobres o paraíso no céu após a morte, mas experimentavam um inferno em vida?
Que sentimento de Pátria queria o homem que abandonou os militares na Índia?
Que sentimento de Pátria queria o homem que impunha a sua presença na terra de outros quando a sua própria terra lutou secularmente para se ver livre de invasores?
Quanto à família…que família constituiu o homem que apregoava para outros o que ele não cumpria?
Denominar o regime de integralismo seria adjectivá-lo pomposamente e por isso mesmo não tem classificação política a não ser a de cópia reles do fascismo italiano. O regime salazarista foi uma mistura de tudo e não foi nada a não ser brutal. Foi buscar a Mocidade Portuguesa à Juventude Hitleriana, a Legião ao Franquismo, a PIDE ao SD Nazi e por aqui se ficou, já sendo muito. Nunca inovou e pretendeu sempre manter o país numa ruralidade asfixiante, a qual assentava na ideia de vida dos seus pais mas que para ele não quis.
Fazer-se hoje a apologia do salazarismo e pegar num programa de televisão como arma de apoio, é assumir, mais do que uma menoridade politica, um desacompanhar da história. Apontar e comparar os males da democracia (que os tem porque servida também por homens), com o salazarismo, é no mínimo um exercício de desrespeito intelectual, para o qual me abstenho de tecer mais.
Com algumas nuances, não poderia concordar mais com o autor do blog, pelo que o congratulo.
Ainda bem que sou rato de biblioteca e humanista ao ponto de saber quem foi Aristides Sousa Mendes e, afastando-me da síndrome de jerico que por aí prolifera, refuto o ser lusitano dos futebóis, da bifana e da Kodak de 5 litros como cartão de visita. Quando é que um povo percebe que se for culto obriga os políticos a mais cuidados?
Um abraço,