sexta-feira, novembro 19, 2010

Cimeira da Nato em Lisboa

Estamos perante um dos maiores atentados à inteligência dos últimos tempos, uma saloiada impressionante, um circo, uma grossa palhaçada, em que os média televisivos portugueses repetem até à exaustão os lugares comuns e as imbecilidades próprias de um jornalismo medíocre e merdoso, tão ao gosto das lusas maralhas.
Se estou contra a cimeira, nem contra nem a favor, a Nato ou Otan, conforme queiram é um anacronismo político imbecil, em que a Europa se presta ao seu papel subserviente, costumeiro, dobrando a espinha e fazendo vénia aos Estados Unidos, sim eu entendo, estamos gratos pelos Sammies de 1918, pelos GI’s de 1945 e pelo Plano Marshal, mas acreditem pagamos isso tudo muito, mas mesmo muito caro aquando da ruína da Fanny Mae e do Freddie Mac, por outras palavras, é graças a esta Nato e ao seu patrão, os Estados Unidos, que nós os Europeus estamos atolados em trampa até às orelhas.
Mas não devemos só a terceiros o nosso actual estado de miséria, devemo-lo essencialmente a nós, à nossa tibieza, não se esqueçam do mordomo do Açores, o rapazote que andou a servir cafezinhos aos poderosos pondo-se em bicos de pés para aparecer em terceiro plano na fotografia, foi por isso agraciado com uma promoção, foi promovido a mordomo da Europa, o limpa cus da Alemanha, da França e do Reino Unido.
Mas adiante, esta saloiada da cimeira, em que um país inteiro quase pára, onde a capital desse país, efectivamente parou, um país em profunda crise, e que ao contrário, precisamente o oposto do que diz o seu máximo representante, vegeta há largos anos na maior pedinchice, de mão sempre estendida aos subsídios e migalhas da Europa, a mesma que esquecida da solidariedade, incapaz de refrear os cães danados da especulação, olha de soslaio para a parolada portuguesa, o antro dos labregos gastadores.
À margem disto tudo, ainda aparecem uns cretinos que estão contra a guerra do Afeganistão, uns imbecis, que ainda não perceberam que ali se joga o futuro de um modelo de mundo, que se não defendido, acabará por fazer soçobrar este mundo ocidental em vagas de sangue, e esses esquerdeirotes fumadores de ganzas serão dos primeiros a ver o gorgomilo apertado, mas aí será tarde. A guerra do Afeganistão não é uma guerra justa, não existem guerras justa, mas é uma guerra necessária, nisso a Nato tem toda a razão, só nisso, o resto porém são balelas, para entreter apresentadoras boazonas e comentadores néscios dos noticiários pasquins televisivos.
Um abraço, deste vosso amigo
Barão da Tróia

2 comentários:

KRISTUS ANDA Nagazoza disse...

vindo do maior mentiroso mundial...

Estamos perante um dos maiores atentados à inteligência...qual ?
o texto



uma saloiada impressionante, um circo, uma grossa palhaçada, em que os média televisivos portugueses repetem até à exaustão os lugares comuns e as imbecilidades próprias de um jornalismo medíocre e merdoso

e quem vê telojornais?

a Nato ou Otan, conforme queiram é um anacronismo político imbecil,
mas não militar


pagamos isso tudo muito, mas mesmo muito caro
por termos deixado de dominar economicamente o mundo

e ter equipado tecnologicamente a ásia
felizmente não fizemos nada na áfrica

ainda aparecem uns cretinos que estão contra a guerra do Afeganistão,os afgãos....nunca gostei dos gajos
só os gregos deram cabo deles
desde alexandre foi sempre a descer



uns imbecis, que ainda não perceberam que ali se joga o futuro de um modelo de mundo,
isto já parece o discurso do Vietname

que se não defendido, acabará por fazer soçobrar este mundo ocidental em vagas de sangue,
só mataram uns 3000 em torres e mais uns centos
e uns 5000 magalas

é como no vietname 45mil versus 3 milhões

acho que os conseguimos massacrar
e é um bom treino para os massacres caseiros

na Grã-Bretanha não se fuzila a canalha desde 1815


e esses esquerdeirotes fumadores de ganzas serão dos primeiros

é fuzilá-los já

KRISTUS ANDA Nagazoza disse...

é um grande negócio
On 3 November 2010 the Defense Logistics Agency awarded a $315 million one-year contract with a one-year option to Mina Corp. Ltd. to supply 96 million gallons of jet fuel to the U.S. Transit Center in Manas, Kyrgyzstan. (more precisely the contract says "a maximum $315,180,960 fixed price with economic price adjustment, requirements-type contract for jet fuel." This makes $3.28 per gallon). I don't know what else that price includes but when the contract was awarded the average jet fuel price in Europe and CIS was $2.27 per gallon. The Department of Defense is in ongoing negotiations with the Kyrgyz government to award a second contract to a Kyrgyz state-owned fuel supplier.


On 3 November 2010 Subcommittee released a Statement in response to the DOD's Manas Transit Center Fuel Contract to Mina Corporation. John F. Tierney, Chairman of the Subcommittee, stated that "Although our investigation has not uncovered any underlying corruption in the Manas fuel contract, we did find that the Pentagon and State Department had ignored widespread Kyrgyz public perceptions of contract corruption
é pena eu não estar nele

o futuro da civilização joga-se no Congo na Somália há que vender armas aos povos que sairam da idade do ferro
há que civilizá-los