quinta-feira, junho 04, 2009

BPSD

O caso BPN, longe do seu fim, enferma logo à partida, da Lusa tragédia, sem fim à vista, será mais um porto franco (Freeport no falar de Shakespeare), em especial um porto franco e seguro de sem vergonhas e gente de carácter duvidoso, à qual não sucederá nada excepto talvez uma nomeação para um cargo de administração num qualquer departamento e ou empresa pública, onde farão por engordar os já anafados glúteos e diga-se de passagem as untuosas coxas, perdão, contas bancárias, meros seguros de velhice, equivalentes a 450 anos de trabalho de um Zé Pagante como eu, ganhos no caso daquelas nebulosas criaturas em pouco mais de uma vintena de anos.
Dito isto, passemos aos factos, sem demagogia política, podemos afirmar que o dito banco ao que parece por junto com a SLN, era uma coutada da social-democracia, prova-se isso pela sua elite administrativa, pela clientela que levantou milhões sem pagar e por aí fora, não escapando sequer uma trapalhada de títulos que envolve o mais alto magistrado da Nação.
Por muito que Ferreira Leite e Rangel, se esganicem a clamar o adverso, factos são factos e quanto a isso batatas. O que me continua a enjoar as meninges é o facto da surpreendente bolsa de ar que o actual governo dá a essa laranjada bancária, essas perturbantes nuvens arrojam ao ar duas questões que ainda ninguém me respondeu, quem estão a defender e porquê?
Para além dos milhões desaparecidos, para além de só Oliveira e Costa e Loureiro estarem no pau dos bois, para além da vergonhosa negociata onde a CGD já enterrou dois mil e muitos milhares de Euros do Zé Pagante, para além disso, continuo a perguntar-me porquê?
Porquê salvar um banco falido, quando existem outros na mesma senda aos quais ninguém deita a mão, BPP, por exemplo, porquê camuflar um colossal esquema de burlas e esquemas, de compadrios e pura roubalheira com a sanção abençoada do banco do Estado, porquê? Com que fito, qual o objectivo a quem está este Governo a proteger, será a ex-nomenclatura da era do Cavaquistão, entalada até às orelhas no merdum a que cheira isto tudo.
A versão oficial do resolvemos intervir para evitar contaminação, não convence ninguém, acho eu! Mas as mentiras ditas e repetidas milhares de vezes começam a soar a verdades.
O BPN era afinal um verdadeiro BPSD! Claro que provas não existem, até porque as que eventualmente existissem estão há muito queimadas.

Um abraço, deste vosso amigo
Barão da Tróia