quinta-feira, janeiro 29, 2009

Bastonarices

“ A Regência nomeada no meio da maior pressa e confusão pelo Príncipe era o governo mais medíocre que possamos imaginar, composto quase todo por generais aposentados, que nunca tinham visto um inimigo, ou por advogados que, caso soubessem alguma coisa da jurisprudência do seu país, certamente demonstravam uma total ignorância política e financeira”

Este pequeno comentário está datado de 29 de Setembro de 1808, foi escrito por um português que se chamou William Warre, nascido que foi na Invicta cidade em 1784, troquem os generais por engenheiros e vejam a actualidade de algo escrito há quase duzentos anos, o que mudou?
Isto vem a propósito do excelso Bastonário da ordem dos advogados, que se mostrou muito agastado com a “violência” do Estado sobre os escritórios de advogados, que na sua ingénua para não dizer algo mais desagradável, opinião, devem ser elevados à categoria de santuários, numa clara atitude medievalista de claro corporativismo bacoco e anacrónico, que levanta também precedentes interessantes.
O excesso de garantias é o maior obstáculo a uma Justiça digna desse nome, ao querer fazer dos escritórios dos advogados uma espécie de offshore dos bandalhos, se como está, a tal Justiça já é o que todos nós sabemos, imaginem, se blindarem completamente os escritórias desses camaradas, é o regabofe total, qualquer pilha galinhas fica a salvo, o interesse em combater o crime e o interesse em cumprir a Justiça, que já anda pelas ruas da amargura, cai a pique, mais por baixo que barriga de crocodilo.
Pois mas os senhores das leis, não vivem de fazer Justiça, vivem de salvar bandalhos, por isso a atitude extraordinária do senhor Bastonário, pessoa que alias, em atitudes e palavreado anteriores até demonstrou alguma coragem em afrontar essa quase seita secreta que mina a Justiça, neste caso porém o senhor Bastonário, digamos que meteu a dita na poça, o corporativismozinho militante veio ao de cima e esqueceu-se do bom senso, o pior é que os limitados intelectuais que escrevem as leis são bem capazes de lhe dar ouvidos e fazer dos escritórios dos senhores advogados santuários.
Mas nesse dia deveremos todos nós exigir que os nossos lares sejam também elevados a essa categoria, sim porque é que para me aterrarem em casa, partindo a fechadura e deixando tudo num caos, as forças da autoridade só necessitam de um mandado assinado por um qualquer juízeco de turno e para irem ao escritório do senhor doutor da mula ruça, é preciso mandados, juízes e mais não sei o quê, caramba eu pago impostos, eu não declaro ordenados minímos nem tenho contas nas ilhas Caimão. Todo este corporativismo, esta mania de superioridade dá-me asco!
Um asco grande que se revela em pequenas, coisas, alias advogados e médicos poderiam competir num concurso de arrogância, de quem tem a psicótica mania de que sabe tudo, em relação aos primeiros, conto-vos um episódio, tenho um amigo que trabalha na área da Justiça apesar de ser meu colega de faculdade licenciado em Portugês, trabalha nos serviços de tradução, de quando em vez envia-me emails com coisas escritas por advogados, só vos posso dizer que é de morrer a rir, tanta é a imbecilidade, a falta de cultura, os erros ortográficos, erros de sintaxe de concordância, ainda que se arrogem o ar de sabichões, o curso de advocacia deveria ter a cadeira de Português como obrigatória no curriculo em todos os anos do curso, por exemplo uma que está na moda, no léxico advoguês é o envio de ofícios iniciando-se com a seguinte pérola do linguajar “ Sou a informar”, numa utilização cretina de um anglicismo, imbecil cuja formulação errónea não existe em Português nem se justifica ser utilizado, valha-me Deus, tanta prosápia, tanto fato Armani, tanta gravata de seda,tanto carro de alta cilindrada, tanta doutorice e tanta labreguice.

Um abraço, deste vosso amigo
Barão da Tróia

3 comentários:

padeiradealju8barrota disse...

Tanta Pobreza de espírito e obtusidade.Somando-se lhe a corrupção que já faz parte dos créditos do nosso anémico país.

Abril disse...

Caro amigo

"Sou a informar"vossa douta fidalguia,e esta douta é mesmo de Doutor verdadeiro....de que os fatos Armani,são comprados no Freeport de Alcochete,logo por acaso o novo aeroporto fica ali perto...pura coincidência,mas continuando;As gravatas de seda estão cheias de nódoas de sopa e vinho,do tinto...Oa carros de alta cilindrada foram obtidos pelo método de carjacking(não de de ser assim que se escreve,mas acaba em king...).As doutocires foram obtidas na Independente...

Como vês isto está tudo de acordo com o pardieiro em que este triste povo chafurda....

Um abraço

bluerussian disse...

como advogada que (também) sou, pelo menos em certos dias, porque os advogados honestos não conseguem ganhar a vida, tem que ir fazer outras coisas que não tem nada a ver (eu abri um supermercado!!!), dou-lhe toda a razão, caro barão. Os tubaroes da advocacia, esse que se julgam acima da lei (tal como os juizes), acobertam grandes crimes nos seus escritorios. E são esses que todos procuram, e q quem todos pagam muito bem, na hora de precisar de um advogado. Nós, que nos recusamos a aceitar trafulhices dessas nos nossos escritórios, somos advogadozinhos de segunda, fraquinhos, a quem se pode ficar a dever uns reles honorários de 200 euros, por exemplo, porque afinal "os advogados são todos ricos e vigaristas". Mas eles, lá no alto, cobram 5000 euros só para lhe verem a cara (nem as gajas do Bunny Ranch, bolas), esses são "dos bons", por isso, na hora de lhes pagar até se dá gorjeta.
Injusto? Pois é. Meus amigos, quem não deve, não teme!!! eu não teria qualquer problema em abrir o meu escritorio a uma busca. Aliás, não corro esse risco, em plena consciencia...