quarta-feira, dezembro 10, 2008

Tenham dó!

Tenho pena dos deputados da Nação! Tenho pena por variados motivos, dão-me dó por serem aquelas coisas sem nervo que vemos televisionados em canal próprio, como se isso fosse do interesse de alguém, fazem-me sofrer pelas absurdidades e cretinices que dizem e dão-me dó por causa da maneira como agem, em suma os deputados portugueses são criaturas dignas de dó, de piedade e de compaixão.
A baixa capacidade intelectual que nalguns casos roça mesmo a completa indigência intelectual daquela rapaziada é digna de dó, a pobreza franciscana atroz dos discursos onde nunca bate a bota com a perdigota, onde se apregoa uma coisa e se faz o seu contrário, é digno de compaixão, leva-nos a pensar se aquilo são as nossas elites, realmente este país é mesmo uma grande cloaca de merdum, porque os exemplos que aquelas damas e cavalheiros nos dão, são “per si” exemplos sobejos do resto da sociedade miserável que é a nossa.
Aliás, as nossas instituições são flagrantes exemplos disso mesmo, da presidência da república aos tribunais, é um fartote de riso, com tanta falta de tudo o que é intelectualmente capaz, pontua isso sim a mais singela e pungente opacidade, a mais disforme inépcia e falta de razão. Porque deveria a Assembleia ser diferente? Claro, não podia, porque destoaria do geral, quando o geral é pior que mau, é infinitamente miserável, aliás colocados numa escala de miserabilismo, temo bem que seriamos os maiores, numas olimpíadas da estultíce e do disparate, nas disciplinas da cretinice, da falta de intelecto e da inépcia seriamos seguramente os campeões, indiscutíveis sem apelo nem agravo, fariamos migas de todos os outros concorrentes africanos e sul americanos, teriamos de ter cuidado porém com os asiáticos.
Em suma os senhores e senhoras deputados da Nação, assinaram o ponto, para ganharem o carcanhol que faz sempre falta para a bica ou para o simbalino, abalaram e deram às de de vila diogo de rabo alçado direitos à neve. Sim e depois, qual é o problema? Das outras vezes fugiram para ir à bola, para irem a banhos e para ir para a real que os pariu, continuo a perguntar, e depois? Qual é problema? O que é que faz a grande maioria dos portugas, quando se lhes apresentam oportunidades dessas, ora faz o mesmo, pois claro, então criticam o quê?
Os senhores e senhoras deputados da Nação antes de o serem são portugueses, e como bons portugueses, dão os exemplos da praxe, ora se algum sentimento nos merecem é de dó, de compaixão, de nojo e de piedade. Porque são criaturas dignas de piedade estes portugueses, cujos exemplos o povo ignorante e carneiro segue sem sequer balir, para que servirá então esta tempestade num copo de água, ora para nada, claro está, tal como nos casos anteriores onde as senhoras e e os senhores deputados da Nação, envergonharam a Nação, esta será mais uma, logo será esquecida até à próxima cretinice que venha daqueles lados.
O que todos deveriamos questionar é para que serve toda aquela gente, que utilidade têm, que produzem, serão mesmo necessários? Tenho para mim que a maioria deles é tão útil como um molho de urtigas dentro das cuecas, tão produtivos como um caracol embalsemado, com tanto préstimo como um selim numa vaca, mas isso sou eu que sou um imbecil, que trabalho, pago impostos e não tenho nem dinheiro nem tempo para ir para a neve, coisa que também não gosto! Por isso ao invés de os criticar,devemos antes revermo-nos neles, tenham dó, de vós e de mim enquanto país e enquanto pessoas.

Um abraço, deste vosso amigo
Barão da Tróia

3 comentários:

Jorge P.G disse...

Dó, francamente, não sinto! Sinto é desprezo e nojo por tantos carreiristas acéfalos e invertebrados!
Aumentam-se a si próprios sempre que querem e reclamam contenção salarial para a "manada" que no fundo desprezam e da qual se servem de tanto em tanto tempo para os colocarem lá.
Faltam despudoradamente às suas obrigações e têm reformas garantidas ao final de meia dúzia de anos que muito poucos portugueses alcançam.
E quando deixam a gaiola dourada de S. Bento, logo procuram mais riqueza em negócios sórdidos que andaram a preparar. (vejam-se os últimos desenvolvimentos dos "affaires" Oliveira e Costa, Dias Loureiro, Jorge Coelho, etc.)
São, é bom dizê-lo sem peias, os grandes predadores da Nação, que dela vivem e nada produzem pelas suas cabeças!

Um abraço.

Abril disse...

O meu amigo Barão quando era mais pequenino,não gostava de ir ver o Circo Cardinali?
Nunca na sua meninice encontrou tão bons palhaços,nem sequer o Anhuca ou o Batatinha.Estes deputados sim,são verdadeiros artistas que chafurdam na pocilga chamada Parlamento,sempre com os focinhos em accão, para comerem a ração que o pagode lhes fornece,quando feitos parvos vamos todos contentes e de fatinho novo,por a cruz no boletim de voto.Com o caminho que isto leva ,não vão haver mas é cruzes, para os funerais destes tristes "carneirinhos" que são os portugueses.Vai tudo para a vala comum,como no tempo do Adolfo da Alemanha.P...que pariu esta corja.

Um abraço

Betty Branco Martins disse...

.querido_______Barão







FESTAS FELIZES:)_______MUITA





.PAZ_____para o mundo

.SAÚDE______para todos nós

.MUITO AMOR_____no coração de cada "homem"


.UM GRANDE SORRISO_____no rosto de cada criança

.UM OLHAR PARA CADA IDOSO____e ver uma fonte de sabedoria_______...



._________e que se diga_____




"FESTAS FELIZES" TODOS OS DIAS:))





beijO______ternO

com amizade