segunda-feira, novembro 19, 2007

Estou à Escuta!

“Quem não deve não teme.” Diz o adágio popular. Então que temem os senhores do Poder, que temem então? Portugal continua a esforçar-se por ser um exemplo anedótico, entre as nações do Mundo, nesta como noutras questões continuamos a fingir. Ao contrário do senhor Procurador, eu penso que existem escutas a menos, que existe um tremendo défice de segurança, podemos ponderar também a questão, estaremos nós obcecados pela segurança? Claro que estamos! Claro que temos milhentas razões para estar, são por demais os exemplos de iniquidades perpetradas, pelos galos do poleiro, que nunca são encapoeirados.

As escutas no enquadramento actual, como se têm visto, para pouco servem, quando chegam a julgamento, nunca servem para nada, são quase sempre ilegais ou pecam por defeitos técnicos, também com as policias a comprar equipamentos de escuta nas lojas dos 300, outra coisa não seria de esperar.

Pessoalmente acho que, todos os meios de comunicação de serviços públicos deveriam ficar sob vigilância, computadores, telefones fixos, faxes e telemóveis, os conteúdos deveriam ficar registados, bem como toda a informação gerada pela comunicação, origem, destino, hora etc. E é possível fazer isto? Sim, exista para tanto vontade política, para transcrever isso em pé de lei. Acredito também que fotografias, vídeos e imagens deveriam ser usadas como meios de prova, se existe essa capacidade como é que neste estado miserável de coisas a Justiça não se faz capaz de utilizar o que existe de bom nas novas tecnologias.

Depois à que acabar com o trauma da geração 25 de Abril, a Pide morreu, a existir novamente, o que não acredito, será outra coisa diferente, por isso mesmo, todo o tipo de escutas deveria ser feita por uma única entidade e sancionada por uma única entidade, qualquer deslize que existisse seria identificado pois só poderia ter saído daquela porta, claro que isto faz confusão a muita gentinha que anda com o rabinho entalado de uma ou de outra maneira daí a que a lei continue neste absoluto estado de inclemência intelectual.

Em relação ao combate ao crime as escutas telefónicas e informáticas deveriam fazer parte do manual de primeiras práticas, mas não, compreende-se porquê, seriam apanhados muitos galos do poleiro e isso não pode ser, assim e tal como o tal novo código que vai servir para os tais galos escaparem da capoeira, continuamos a ver navios.

Ao que parece nem os serviços de informação podem comprar equipamento de escuta, se o fazem é de forma não legal, esta é de morrer a rir, já alguém pensou para que serve um serviço deste tipo que não escuta, serve para quê, pois para nada, não sei se já perceberam que hoje já ninguém comunica com pombos correio, sinais de fumo ou sinalética, hoje usam-se emails, Voips, sms, mms e sei lá que mais, que raio de serviço de informação é este, já estou a ver um encontro internacional de malta desta, CIA, Mossad e tal, entretanto chega o SIS, bem os outros devem morrer a rir.

Senhores do poleiro, ganhem vergonha, assumam de uma vez que as tecnologias vos incomodam, só porque vos podem apanhar também, mas não nos tomem por parvos, por imbecis, assumam de uma vez por todas que não querem nada com escutas, para que nós, os pobres diabos pagantes de impostos nunca venhamos a saber dos lucros que embolsam com o esburgo, que fazem dos cabedais do erário público.

Um abraço, deste vosso amigo

Barão da Tróia

13 comentários:

Francis disse...

É curioso porque ainda há dias me tinha interrogado para que merda servem as escutas telefónicas se acabam sempre por ser inadmissíveis em Tribunal.
Já imaginaste qual é o espirito da coisa?
Eh, malta. Bora fazer umas escutas que não servem para nada!"
É mais uma anedota deste país.
Faz-me lembrar o caso Maniche-Benfica-Porto, O Benfica apresentou como prova o contrato pré-assinado entre o jogador e outro clube e ainda escutas telefónicas da PJ a comprovar o "negócio".
Resultado: As escutas não foram aceites em Tribunal e o Contrato em sí... não era prova suficiente :)))
Conclusão: A Patifaria é saudável e recomenda-se.

padeirdealjubarrota disse...

Ora nem mais! Quem não deve não teme! Faça-se é uma limpeza a fundo nesta podridão.

Isabel-F. disse...

"...
Em relação ao combate ao crime as escutas telefónicas e informáticas deveriam fazer parte do manual de primeiras práticas, mas não, compreende-se porquê, seriam apanhados muitos galos do poleiro e isso não pode ser, assim e tal como o tal novo código que vai servir para os tais galos escaparem da capoeira, continuamos a ver navios."

claro ...

e claro que as novas tecnologiais incomodam e muito ...

bjs

Sininho disse...

Mesmo assim, anda meio mundo preocupadíssimo pelo facto de poder ser escutado pelo outro meio...
E depois vem o outro declarar com bonomia que Portugal é um bom local para terrorista descansar.
Estamos bem encomendados.

Abraço

125_azul disse...

Eu até já tive uma deprimência à conta das escutas! Foi quando percebi que não era sufucientemente importante nesta porcaria de hierarquia cá da terrinha para me fazerem uma escuta. É que uma pessoa sente-se diminuia, carambas!
Beijinhos, boa semana (e abre a pestana, senão ainda te fecham o blogue. Não que haja censura, somos uma democracia, afinal...)

Andreia do Flautim disse...

Um abraço também para ti!

Meg disse...

Ora, meu amigo, temem tudo, porque
só podem temer.
O resto é retórica e uma tentativa de atirar areia para os olhos, neste caso para os ouvidos... não será?

Um abraço

Lumife disse...

Mais um bom e actual recado.

Abraço

Betty Branco Martins disse...

Olá Barão



_________isto das escutas está feio!!! e o mais bizarro da situação (COITADOS DOS NOSSOS POLÍTICOS) são umas vitimas:)))


"José Sócrates que se cuide, se não conseguir por ordem nas escutas. Pode acontecer-lhe como ao primeiro-ministro grego e a mais 100 políticos e altas individualidades, cujos telemóveis foram sujeitos a escutas e as suas conversas gravadas durante quase um ano, entre Junho de 2004 e Março 2005.
O processo foi descoberto por acaso, muito tempo depois, e só há três meses se conheceu melhor a história.

A Vodafone foi multada em 76 milhões de euros e um dos seus altos funcionários apareceu morto.

Mas, até hoje, ninguém sabe quem o fez e o porquê!!!


Para além do rocambolesco da situação, absolutamente inédita na sua dimensão, o que o escândalo revela é que, neste processo, as operadoras são um elo sensível, cujos esquemas de segurança podem ser facilmente contornados, sobretudo se for possível chegar até um funcionário. E pode até ser uma operação barata, se for isso que estiver em causa - quantos não poderão ser chantageáveis?

E, já agora, como e quem controla o sistema de segurança das operadoras? O Dr. António Carrapatoso garante???

(Luísa M.)"Expresso"


_________mais uma vez______tudo isto será abafado____________porque a matéria




é____________ESCALDANTE!!!



_______como sempre



_______a montanha vai parir um rato




um abraçO

Odele Souza disse...

Mas é claro que devem estar apreensivos que a escuta se volte contra eles. Já pensou? Todos "escutando" as safadezes deles..?
Bjs.

Ruby Sackville-Baggins disse...

Pois, acho que andamos todos indignados, se não é por este motivo é por outro, e por outro, ou outro...

O que me revolta é que, realmente, fazem de todos os cidadãos, as pessoas mais parvas e incultas que existem. E se é verdade que muitos o são, outros lá nos vão mostrando posts destes. Mas a verdade é que não é suficiente e quando há manifestações são só dois ou três agtos pingados, porque hoje há medo! ....

Enfim, desejo-te um bom fim-de-semana!

**

Savonarola disse...

Não deixa de ser uma boa ideia, não senhor. Assumir claramente, abertamente, que se fazem escutas, quem as faz, como é que são feitas, tudo como mandaria a lei de qualquer país civilizado. Só que nesta república das bananas (e dos bananas) põe-se um microfone debaixo do tapete do procurador-geral da República e toda a gente fica admiradíssima! Hipocrisia.
Um abraço anarquista

Jofre Alves disse...

Passei para ver e apreciar o blogue e ver que quem não deve não teme. Boa semana.