quarta-feira, maio 30, 2007

Acórdão ou não acordam!

O Supremo Tribunal de Justiça, dando seguimento a um apelo de um cavalheiro condenado a 7 anos de prisão efectiva, depois de se ter provado a sua propensão pedófila, com actos sexuais tentados e continuados, praticados com miúdos de 13 ou 14 anos, incluindo uma violação, deu provimento ao recurso e reduziu a pena em 2 anos, ao senhor em questão.

Como é óbvio não vou questionar os doutos sapientes e iluminados Juízes, as lucubrações de tais criaturas estarão acima de qualquer cogitação dos pobres diabos que somos, eu plebeu ignaro me confesso, esta douta sapiência, afigura-se a um canhestro provinciano como uma das mais insignes barbaridades jurídicas dos últimos tempos, fará, se for dada a conhecer lá pela estranja, jurisprudência, ao inverso, ensinando aos Juízes de outras terras o que não deve ser feito.

Na televisão um senhor Juiz Desembargador, vindo a terreiro pleitear a causa dos camaradas, arengava, com um travo de ligeira indignação, da justeza do Acórdão que segundo o tal senhor é de todo lícito e de acordo à Lei vigente, desculpando-se como é hábito destes e doutros senhores com essa figura tenebrosa e etérea a que chamam figurativamente o “Legislador”, perorava, também o dilecto Desembargador, acerca das humanidade dos Juízes do Supremo, dando assim a impressão de informalidade e de proximidade dos que julgam aos que são julgados e ou alegadamente defendidos.

Como disse em antemão, não questiono o Acórdão dos Doutos Juízes, mas posso alertar para algumas das pérolas da sua decisão e desmontar os argumentos do senhor Desembargador televisivo. Em primeiro se o Acórdão é lícito e dentro da lei, isso é grave é muito grave, é sintoma de que os senhores Juízes, o tal espectro legislador e os senhores políticos mais uma vez andam a dormir na forma, não dando atenção devida a uma questão relevante e trágica como é a da pedofilia, não é menosprezando e relativizando o caso “pelo seu contexto mediático”, que os senhores Juízes diminuem a tragédia que não estão a fazer nada para combater.

Se o tal Legislador, que ao que parece ninguém nunca sabe quem é pois todos se desculpam com o legislador, faz uma lei perfeitamente estúpida sobre a violação distinguindo etapas de violação ou não violação de acordo com idade, uma é mais grave outra é menos grave, naquilo que se pode classificar como uma perfeita imbecilidade jurídica, eu sugiro que se sodomize à força o tal “Legislador”, para que assim essa figura possa aquilatar e discorrer sobre o que é uma violação.

Não posso também questionar a humanidade dos senhores Juízes do Supremo, felizmente não os conheço, posso só dizer que mais uma vez fico assustado com a humanidade destes cavalheiros, se as declarações aberrantes que fizeram discorrem também do facto de serem pessoas dotadas de alguma normalidade bom senso e humanidade então, abrenúncio, cruzes canhoto e te arrenego em cruz, livrei-nos de humanos de igual semelha, pois estou em crer que estamos melhor defendidos entre outro tipo de animais, porque estes humanos deixam muito a desejar em relação à sua humanidade.

Por último, de novo não questionando a douta e sapiente conduta dos Senhores Juízes do Supremo, gostaria de saber com que capacidades técnicas, ou baseados em que conhecimentos científicos os senhores Juízes proferiram pérolas como esta, …Por conseguinte, as necessidades de prevenção geral positiva são relevantes

Prevenção de quê da Pedofilia? Campanhas? Com slogans e cartazes na estrada, “ Se vai conduzir não coma meninos!” Ou ainda esta outra pérola da douta, preclara e inquestionável sabedoria dos senhores juízes, …É de considerar o grau de desenvolvimento do menor, não sendo certamente a mesma coisa praticar algum dos actos com uma criança de cinco, seis ou sete anos, ou com um jovem de 13 anos, que despertou já para a puberdade e que é capaz de erecção e de actos ligados à sexualidade que dependem da sua vontade... Como é que alguém profere estas barbaridades, como? E são estas as tais pessoas humanas que supostamente nos protegem e fazem defender a Lei da Nação, apre!

Um abraço deste vosso amigo

Barão da Tróia

17 comentários:

Dalila disse...

parece me que o juíz também gosta de brincar com meninas de 13 anos

Anónimo disse...

Confesso que não sei o que PENSAR nesta JUSTIÇA PORTUGUESA na TRETA da questão da PEDÓFILIA.
Que aliás me deixa a PENSAR que JUIZES temos NÓS em JUIZOS de fazer COMPARAÇÕES entre IDADE de JOVENS para efeitos de PEDÓFILIA.
Acaso fossem FILHOS dos mesmos JUIZES eles teriam as mesmas OPINIÕES ????.
VAI-TE RENEGO.
touaqui42

Blossom disse...

Sinceramente não encontro palavras para comentar o absurdo desta situação...

Bom resto de semana

eu mesma! disse...

por essa ordem de ideias, se o juiz for violado também não deve ser crime tendo em consideração a idade que ele deve ter...

João Moutinho disse...

Ainda estou recordado da cena em que uma jovem jugoslava após ter sido violada o juíz considerou que ela se deveria ter precavido na "coutada do macho ibérico".
Demasiado triste...
Se não queremos a justiça popular, então que a jurisprudência não seja apenas retórica.

Andreia do Flautim disse...

Como é que é possível??

É uma criança e foi abusada!!

RCataluna disse...

Arrepiante!!!

Å®t_Øf_£övë disse...

Barão,
Acabei de te atribuir o prémio "BLOG com TOMATES". Depois passa lá pelo ATORDOADAS para conferires.
Abraço.

Jade disse...

Gostei da argumentação da "eu mesma"!
Enfim... mais uma decisão brilhante!
Fica bem!

Diogo disse...

Não perder na TV Blogo – Putin enfrenta Sócrates. Falamos ainda da imaginação fértil do subsecretário da defesa americano, Douglas Feith.

Isabel-F. disse...

aposto que se o menor fosse filho dum desses juizes ... não teriam actuado da forma como o fizeram ...

isto está cada vez mais nojento..

bj

Francis disse...

"...fico assustado com a humanidade destes cavalheiros"

Reparaste na arrogância do gajo, tipo "Eu sei de leis e vocês são uns idiotas!"?

Traduzido à letra significa: "Quero que se f... O filho nem é meu!"

Fico envergonhado de ouvir alguém no meu país dizer uma coisa destas em público.

Sabes o que acho, este Juiz, Artur-qualquer-coisa, estava com ciúmes do miúdo!!!

agua_quente disse...

Triste e revelador da falta de sensibilidade para estes problemas que a lei revela, no nosso país.
Há que acordar, de facto!
Beijos

Capitão Merda disse...

Juízes, mas pouco ajuizados!

Capitão Merda disse...

Acabo de observar que colocou aqui um "link" para a minha naviarra.
Obrigado pela atenção, que vou retribuir.
Cumprimentos

Diabólica disse...

Sem dúvida escandaloso. Somos mesmo a cauda da Europa.

Quanto esta sentença, não há nada a dizer se não desumanidade e imcompetência.

Mas, é a esta gentalha, que está entregue a "justiça" do país.

É preciso muito boa vontade para falar em justiça, pq como todos sabemos neste país as leis não são aplicadas, segundo o "Princípio da Igualdade" consagrado na nossa Constuição. Ou seja, "uns são mais iguais q outros.

Na televisão um senhor Juiz Desembargador, vindo a terreiro pleitear a causa dos camaradas, arengava, com um travo de ligeira indignação, da justeza do Acórdão que segundo o tal senhor é de todo lícito e de acordo à Lei vigente, desculpando-se como é hábito destes e doutros senhores com essa figura tenebrosa e etérea a que chamam figurativamente o “Legislador”, perorava, também o dilecto Desembargador, acerca das humanidade dos Juízes do Supremo, dando assim a impressão de informalidade e de proximidade dos que julgam aos que são julgados e ou alegadamente defendidos."

Humanidade, mas onde é q ela esta numa decisão judicial deste tipo.

Já n dizerem q a criança é culpada, já n é mau, mas qq dia nunca se sabe....

Estes indíviduos( Pedófilos) queriam-se mortos, sei q posso parecer radical, mas é assim q penso. Pois, estes "animais" deixam marcas nestas crianças, maior parte das vezes irreversíveis.

Mas, recentemente temos o exemplo do caso "Casa Pia" que não anda, nem desanda.

Como é de esperar nada vai acontecer. E nós contribuintes, continuamos a pagar para estas palhaçadas.

enfim... é a MERDA DE PAÍS que temos.

Sem dúvida indignante.


P.S- Gostaria que visitasses o meu blog. Tenho lá um prémio para ti. Com este teu artigo, ainda me fazes ter mais a certeza q o mereces.

Parabéns!

Beijinhos

A. João Soares disse...

Uma das «pérolas» quase leva a culpar o menino de treze anos, por eventualmente ter assediado o violador!
Como os juízes decidem pela sua consciência e experiência da vida, não estaria eventualmente a ser influenciado por alguma sua experiência vivida naquela idade?
São dúvidas que ficam a quem gosta de compreender a mente humana.
Abraço