terça-feira, fevereiro 13, 2007

Quid Juris

Elevado a passatempo nacional, o dizer mal da Justiça, passou a figurar em qualquer órgão de informação, por força do barulho a malta lá despertou para esta verdadeira praga dos tempos modernos. Isto porque enquanto a coisa só tocava ao “Zé Povinho” era o deixar andar, ledos e folgando, lá seguiam sem mais aquela, no entanto e depois de alguns, muitos, casos de bradar aos céus, é do lado de dentro que algumas vozes começam a questionar esta Justiça que temos.

Que a Justiça cá no cantinho à beira mar é tudo menos cega, qualquer otário já tinha percebido, excepto os senhores Juízes e os senhores Governantes. Para estas elites, trôpegas a Justiça funciona, até porque na sua maioria, estes cavalheiros parecem ter visão curta, pouco vendo para além do horizonte do seu umbigo, verdade seja dita que a Justiça em Portugal está à laia do resto do país, ou vocês queriam ter um país rafeireco como este com uma excelente Justiça?

Do ponto de vista de um leigo ignorante, que é aquilo que sou, a Justiça em Portugal parece-me, lenta, bafienta e muito pouco justa, pretende-se que seja isenta, não o é porém, quem insistir em ver na nossa Justiça a marca da isenção, mente sem pudor, a nossa justiçazinha é parcial, subjugada que está a grupos de interesses vários, fazendo de conta que é cega, faz-me lembrar a brincadeira da “cabra-cega”, em que nos tapavam os olhos com um lenço e nós arranjávamos sempre maneira de por uma nesga de pano entrever por onde andavam os comparsas de folguedos.

Continuo a insistir em que as penas são desadequadas, a ilícitos criminais menores são impostas penas excessivas enquanto a crimes gravíssimos cometidos por seres, que de humano pouco devem ter, se aplicam penas ridículas, aqui é um problema de doutrina, por cá aplica-se a doutrina da reabilitação, que não funciona diga-se “en passant”, até porque quem vai preso não vai para reabilitar vai antes para fazer um espécie de “up grade” entra “carteirista” sai “rato de automóveis”, quando se devia aplicar a da expiação do crime cometido e a da segurança de quem não comete crimes, segurança essa que ao que me quer parecer ninguém liga peva.

Por outro lado ficamos com a sensação que tudo isto é um jogo que se destina somente a fazer-nos andar entretidos e enredados em ilusões, é o tal jogo do faz de conta, tão ao gosto do nosso Portugal. Num mundo em que a tecnologia serve o homem, com cada vez mais acuidade, a nossa Justiça insiste em fazer tábua rasa da utilização desses métodos, as fotografias e os vídeos não fazem meio de prova e as escutas são sempre ou quase sempre ilegais, não percebo, sinceramente não percebo, isto num tempo em qualquer bandalho de quinta categoria já usa um telemóvel de ultima geração, não percebo, sinceramente gostava que me explicassem.

Acontece que agora, são Juízes que começam a questionar esta “Justiça”, são Advogados, que levantam questões, a uns e a outros as respostas tardam em aparecer, como a nós. Os legisladores tardam em perceber, que este é um tempo novo, que mal ou bem, uma cada vez maior franja da população, questiona o que era até aqui inquestionável, esta nossa Justiça e os seus principais actores parecem não perceber o que se lhes exige.

O tal advento da modernidade tarda em chegar aos ermos esconsos desta Justiça bolorenta que se arrasta como uma dama antiga, cuja vestimenta lhe tolhe o movimento, daí que seja lenta, anacrónica e muito pouco justa. No meio deste oceano de broncas, burrices e barracadas, vários náufragos vogam ao sabor da brisa do momento, Polícias, Procuradores, Juízes, Advogados, Governantes, Vítimas, Criminosos e Sociedade em geral, cada um colocando o ónus da preguiça e do laxismo no outro, uns fazendo outros desfazendo, uns informando outros desinformando, todos irmanados e apostados em transformar a Justiça num ainda maior caos.

Enquanto isso o pobre cidadão, pode e deve questionar a Justiça, tendo o direito de a por em causa, visto que como está, ela serve a poucos e aos poucos que serve, mais se servem dela do que aos outros presta serviço.

Um abraço, deste vosso amigo

Barão da Tróia

43 comentários:

MRelvas disse...

Caro "Barão de Tróia II".

Sobre justiça estamos conversados...veja no Aromas quantas vítimas fez o habeas corpus ao sarg. Luís...27000!

Abraços

Mário Relvas
http://aromasdeportugal.blogspot.com

_estrelinha_ disse...

ola, passei para ver se esta td bem ler um pouco e desejar uma boa semana

beijinhos

Andreia do Flautim disse...

Será que a justiça tem sido feita?

A Sonhadora disse...

Olá barão, boa tarde, como sempre adorei andar por aqui a dar umas espiadelas...
Tudo do melhor, assno por baixo
Um abração da sonhadora

Utzi disse...

Pois, estamos de acordo, as usual.

Beijos e boa semana ;)

abril disse...

Amigo Barão (sempre com letra grande ).
A nossa Justiça está convencida que vive no Olimpo.Os seus "fieis" têm que beber do mesmo copo das divindades,têm de pensar como eles,não podem ter ideias diferentes do santissimo Conselho Superior da Magistratura...Não entendem que os juizes são homens,são seres humanos que têm ideias e vontades própias.
Alguns pertencem ao OTL DOS INUTEIS (como vês tambem com letra grande)porque para pequena,já bastam outras coisas...
Vê o que se passa com o Helder Fráguas.Este "atrasado mental" teve a ousadia de ter um Blog e escrever no Mirante uma crónica,que vai contra os mandamentos da "Sagrada Justiça".
Com este,sei hágrkdz muito tempo,que vão bater a porta errada.O Helder é feito de uma massa muito dura.
Para quem não sabe este SENHOR foi juiz do Tribunal de Almeirim.
Temos de volta o Lápis Azul,temos de lhe tornar a partir o bico.
Um abraço do teu amigo( tu sabes que é verdade )

Filipe Freitas disse...

Acabando de ler este artigo publicado venho desejar, caro Amigo Francisco Pereira, uma boa semana, apesar deste tempo chuvoso por aqui na Figueira da Foz, e certamente também por Almeirim...
Abraço.

Casemiro dos Plásticos disse...

a justiça é cega né?

Teresa Durães disse...

Justiça?

(desculpe, falava de...?)

ah!!! Referia-se ao que se faz dentro dos Tribunais? Para que serve? Não sei. Mas porque lhe chamou justiça? Não recordo que seja coisa assim.

Caso Moderna? Casa Pia? Camarate? Apito Dourado ainda se vai ver.

bah! porque falta um papel, anula-se. Porque foi mal redigido, prescreve. E os casos que desaparecem? Até a mim aconteceu.

eu que nada percebo do que lá se passa fico embasbacada.

Boa tarde

Anónimo disse...

João Renato Coelho André
Travessa dos Fornos nº 9
2080-183 Almeirim


Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Almeirim


Na condição de Almeirinense, lhe envio esta carta com conhecimento a todos os Vereadores, para apresentar uma sugestão que justificarei com os argumentos que passarei a citar:

Como está a ser concluída a construção da rotunda junto ás Finanças em Almeirim, penso ser oportuno propor a colocação do busto ou estátua de uma pessoa que tenha de alguma forma contribuído com o seu trabalho e dedicação ao engrandecimento da nossa terra. Como é do conhecimento geral, o Sr. tem desenvolvido uma acção profícua em prol do nosso concelho.

Não é menos verdade que ninguém sozinho consegue grande empreendimento, se não tiver o apoio de uma equipa ou de alguém especial.

Nos executivos anteriores como o Sr. muito bem sabe, os Vereadores da sua equipa não têm estado ao seu nível e neste momento, depois das demissões verificadas, a sua equipa ficou bastante desfalcada, pese embora o grande esforço feito pelos seus Vereadores, no sentido de criar uma imagem de simpatia e eficiência, em festas e outras iniciativas criadas ou apoiadas pela Autarquia.

Há no entanto uma pessoa que de forma discreta, se tem vindo a impor ao longo dos últimos anos, no apoio á gestão da Câmara: Essa pessoa é a sua acessora, D. Rosa do Nascimento.

Qualquer munícipe sabe que se quiser ir falar com o Presidente, tem que pormenorizar á D. Rosa, quais os motivos ou razões, sendo sua evidente preocupação facilitar o trabalho a Vossa Ex.ª Os próprios Técnicos da Câmara se tiverem algum assunto de trabalho para falar com Vossa Ex.ª, têm de o explicitar devidamente antes de o poderem contactar.

Não há dúvida que essa ajuda tem sido preciosa e permite que Vossa Ex.ª fique liberta para se ocupar de outras preocupações, nomeadamente:

- A organização dos serviços;
- O acompanhamento das obras municipais;
- A planificação do futuro do nosso Concelho.

Por ser uma pessoa com conhecimento profundo de todos os assuntos da Câmara, pelas razões apontadas e por outras, penso que seria simpático, homenagear a Sra. com a colocação de um busto na dita rotunda.

No entanto, se não estiver previsto a colocação de qualquer busto nesta rotunda, há outra que também seria um excelente local, e para mim, representa fielmente a capacidade empreendedora e de visão futurista da gestão de Vossa Ex.ª, a rotunda junto á Adega Cooperativa.

Por outro lado e dado a proximidade do Centro Coordenador de Transportes, outra obra estruturante do seu mandato, estaria criado um núcleo importante, que num futuro poderá facilitar a compreensão para os vindouros que queiram estudar o alcance da sua gestão autárquica e a sua capacidade de planificação.

Como o Sr. tem sido uma pessoa reconhecida para com os seus fiéis seguidores, penso ser oportuna esta sugestão.

Subscrevo-me com consideração,
João Renato Coelho André
Almeirim, 30/01/2007

isabel mendes ferreira disse...

desculpe-me...mas justiça onde?


cá no burgo?


sei não...

________________

post atento. como sempre. felizmente.


beijos.

SentadaAoLuar disse...

Quão injusta é a nossa justiça....

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Caro Barão,
Das injustiças da justiça até eu já tenho a minha dose...
nem sempre as decisões do tribunal são justas e isso posso eu garantir...
Só neste país é que a Justiça (pelo menos até ontem punha) na cadeia mulheres por fazerem abortos, mas não obriga os pais a cumprirem com os seus deveres para com os filhos principalmente no que concerne a pagar uma misera pensão de alimentos...
enfim... é só um exemplo... Pelo tribunal bem podiam morrer crianças à fome à espera das suas decisões justas...
Beijos

chuvamiuda disse...

.................

Caro Barão,

não será a dita, o reflexo daquilo que somos?

uns típicos bate n'avó

nós que tanto apontamos o dedo ao Estado, esquecedo que o Estado somos nós..........

................

Noite serena

Paula e Rui Lima disse...

Olá!

Se gostas de cinema vem visitar-nos em

www.paixoesedesejos.blogspot.com

todos os dias falamos de um filme diferente.

Paula e Rui Lima

O Micróbio II disse...

Acho que a justiça foi sempre (e sempre será) um tema muito sensível desde o início da humanidade... afinal, o que é a justiça?

Belzebu disse...

Excelente fotografia da nossa justiçazinha! Não acrescento nem uma virgula a este post!

É injusta, é revoltante, bafienta e não inspira confiança!

É sempre um prazer ler-te!

Saudações infernais!

Isabel-F. disse...

"....

tendo o direito de a por em causa, visto que como está, ela serve a poucos e aos poucos que serve, mais se servem dela do que aos outros presta serviço.
"

Havemos de lá chegar.

Bjs

Cristina disse...

Happy Valentine's Day
:)
Kisses

bluerussian disse...

Justiça... Bah. Deixei-me disso há uns tempos porque não há pachorra.
Enterre-se esta, construa-se uma nova.
Excelente. Peço desculpa pela ausência!
Saudações

Lord of Erewhon disse...

Enfim, a Justiça por vezes funciona... porque, de um modo geral, apenas temos «justiça»... De louvar nisto tudo: só a actividade da Polícia Judiciária! Grandes senhores!!

vero disse...

axbmeOlá, surpresa a descoberto... passa no meu blog! ;)
Beijinhos***

Dae-su Oh disse...

Portugal=Injustiça

(mais não digo)

Cumps!

missixty disse...

Porque nunca mais foste ao meu blog?? Algum motivo especial??? Qualquer coisa o meu mail é:spanishwoman2@hotmail.com

IsaMar disse...

eu já não sei com identificar esta justiça e todo e qualquer politica e politico que temos neste país que me parece andra à nora!
jinhos meus

Rosario Andrade disse...

Bom dia Barao!
É, a Justiça é tudo menos imparcial.

Bjicos

Klatuu o embuçado disse...

Aproveita... a «senhora» quer que lhe vás ao «blog»! JAJAJAJAJA!!!

Abraço!

Diabólica disse...

BARÂO

Olha, eu vejo a Justiça Portuguesa, como no fundo veja a vida.

É claro que não existe justiça nenhuma no nosso país, ou por outra é capaz de existir, mas, para quem tem dinheiro.

E depois os senhores legisladores, ainda têm a lata, de colocar na nossa CRP(Constituição da República Portuguesa)o Princípio da Igualdade.

De facto, ele está lá consagrado, mas a sua aplicação onde é que ela está??? Porque, como todos sabemos, há uns "mais iguais" do que outros, se é que me faço entender!

Outra coisa, são as tais penas, que se dirigem a "reabilitações ", para futuras integrações na sociedade.

Basta-nos olhar, para além dos exemplos que tu próprio nos dás, para o caso do IRS( Instituto de Reincerção Social), onde são colocados aqueles miúdos que são marginais, que já vão praticado furtos, etc, etc.

Posso te garantir que aquilo é tudo menos reabilitação, existem lá miúdos que, com 10 anos de idade, têm um "cadastro" que nem te passa pela cabeça.

Desde já ter morto alguém, a violar miúdas com 10/12 anos, tens de tudo.

E mesmo lá dentro continuam a fazer das suas, se é que me faço entender.
A minha pergunta é: O que é que vão para lá fazer??? Só se for gastar dinheiro ao Estado...

A justiça para mim, funciona como uma espécie de teatro, as pessoas são personagens naquela "engrenagem", e quem conseguir pagar mais ao melhor" actor", leia-se advogado, têm o caso resolvido.

E é assim que vamos sendo iludidos no nosso país!

Beijinhos

Caiê disse...

"Os advogados são ladrões"... assim diziam os velhinhos de onde me criei e assim tenho verificado nesta vida.

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Barão:

A justiça está como está devido essecialmente á crise de valores que a atravessa.
Um advogado em vez dum profissional da justiça está transformado numa "máquina registadora"... os princípios são, com excepções, relegados para último plano.

Assim vai o mundo.

Um abraço,

rouxinol de Bernardim disse...

Um monumento de blogue!

Anónimo disse...

O despertar será um bem mais dramático ao POVO PORTUGUÊS.
Aliás e sempre em ALTA informávam que o DESEMPREGO descia a olhos vistos e hoje chega-se á conclusão que mentiam com todos os DENTES existentes numa boca PORCA.
Poupa-se de um lado á custa da SAUDE EDUCAÇÃO mas paga-se beneses chorudos.
E querem fazer acreditar que não existe a tal CORRUPÇÃO.
Uma tristeza de vida miserável escondida que existe neste PORTUGAL.touaqui42

rascunhos disse...

Deu-me hoje para ler este blogue e achei o post excelente.
Parabéns ao autor.


http://rascunhandoporai.blogspot.com

Savonarola disse...

É verdade. Usando togas magistrais, como seres superiores, deles emanando o saber último da Lei, os magistrados ditam as leis da Justiça, magistralmente. Não são humildes, estes senhores, atingiram o poder intocável da Justiça, poder soberano, o Judicial. Entretanto, o povo continua à espera de ver os seus casos resolvidos, anos a fio, sem resposta desta máquina morosa.

E, também ela, corrupta. Bem atirado o post! Nem a Justiça está acima da crítica, nem do cidadão.

Um abraço

Capitão-Mor disse...

Agradecido pela visita aos trópicos! Volta sempre...
Desejo-te um BOM CARNAVAL!

Professorinha disse...

Justiça Portuguesa? Que é isso?

agua_quente disse...

Parece-me que existe um descontentamento geral, relativamente à aplicação da justiça em Portugal. É lenta, é desajustada muitas vezes e, neste momento, anda às aranhas com uma série de casos mediáticos onde toda a gente mete a colher.
Enfim... esperemos melhores tempos.
Beijos

deep disse...

No que concerne à Justiça, ganha quem pode pagar... há exemplos a mais neste país de faz-de-conta para que qualquer leigo perceba que passam a vida a deitar-nos areia para os olhos.

Bom fim-de-semana.

Salto Angel disse...

Tenho de concordar contigo, que remédio, pois é a verdade, nua e crua...

Abraço.

Carla disse...

Estou a ver que não perde a qualidade! Continue assim!

Espero que esteja bem, boa semana

Jinhos***

Wellington Almeida disse...

passatempo nacional nº02: defender inflamadamente uma posição sobre o referendo e depois ficar em casa vendo tv no dia da votação. Abraço!

padeirinha disse...

A justiça está de rastos! Mesmo assim, prefiro juizes...a advogados! Livra!...
E só quem tem dinheiro a jorros se safa e tem advogados que não desistem!...Pois!Evidentemente!

mariajosemoragado disse...

Bragaparques: deputado exige explicações
PS quer esclarecer contrato estabalecido com Hospital de S. João

Bragaparques: acordo dois dias antes de eleições
Bragaparques: PS quer «sacudir água do capote»
O médico e deputado socialista Manuel Pizarro desafiou o ex-ministro da Saúde, Luís Filipe Pereira, a esclarecer a sua posição em relação ao «lamentável» contrato estabelecido entre o Hospital de S. João e a Bragaparques.

«Exigimos o apuramento das responsabilidades factuais em relação aos contratos e das responsabilidades políticas do ex- ministro da Saúde a quem esta situação foi denunciada», afirmou Manuel Pizarro, em declarações à agência Lusa.