segunda-feira, janeiro 22, 2007

Tic…Tac… São Horas Senhor Doutor!

Eles não querem picar o ponto! Porquê? São especiais! Sem dúvida, são especiais, mas na sua grande maioria, portam-se como os outros, sem respeito pelas pessoas, com arrogância e displicência, ao tal juramento que fazem, perdoem-me os bons profissionais, deveriam mudar o nome para Juramento de Hipócrita, porque é assim que se portam estes nossos senhores doutores.

São por demais os exemplos de desmando nesta classe profissional, arrogantes, cheios de si mesmos, embevecidos qual Narciso pela sua própria imagem, como muito bem sabe quem vive no interior, os senhores doutores não querem ir para lá, um centro de saúde no interior, que serve 60 mil pessoas tem uma dotação para 13 médicos e só lá estão 9, porquê?

Porque os senhores Doutores, continuam a tratar de todos nós como se fôramos uns asnos, quando nos salvam, coisa que alias são pagos e muito bem pagos para fazer, atingimos os píncaros, exigem-se todas as alcavalas e honrarias, mas quando a coisa dá para o torto e o paciente ata as cardas, então é o sacudir o capote para que caia a água, porque a culpa nesta terra morre sempre sem casório.

Não me insurjo contra os médicos, insurjo-me contra privilégios de classe, contra a incompetência, contra a podridão que chegou a esta classe de mercenários encapotados, mais uma vez que me desculpem os bons profissionais que ainda os há, insurjo-me contra uma Ordem, que tal qual uma Máfia, manda e desmanda, chantageia e esburga, a pobre da plebe, há uns tempos li num blogue de um senhor que é médico, que ninguém dá valor às agruras por que passam esses profissionais, porque o paciente cheira mal dos pés ou porque não toma banho.

Então senhor doutor, o senhor tão inteligente não sabia que era assim, já se questionou se a pessoa em causa tem água em casa, ou se tem dinheiro para a pagar, terá o senhor aproveitado, visto ser intelectualmente superior, para aconselhar a pessoa sobre as vantagens da banhoca e do uso do sabonete, ou limita-se o senhor a defecar larachas, a torcer o nariz e a ser mal-educado. Problemas laborais todos têm, falta de meios e recursos, ter de inventar, caramba todos passamos pelo mesmo, os médicos não deviam passar por isso, é verdade, mas este é o país que temos, se a juntar a isso as atitudes dos senhores doutores são as que são, a coisa só pode descambar.

Os senhores como agentes da nossa saúde deveriam ter uma atitude mais interventora, mas infelizmente não o fazem, infelizmente na maioria dos casos são mais um exemplo triste desta sociedade de mentecaptos e galfarros, o caso que vou relatar passou-se comigo e é um triste exemplo; há uns tempos fui a um centro de saúde, tinha passado mal a noite, febre, dores de cabeça e má disposição, tanto que nem consegui ir apanhar o comboio para Lisboa onde morava na altura, telefonei à minha mulher e contei-lhe como estava, disse-lhe que ficava em casa da minha mãe, suspeitei de virose, mas não sendo médico quis ir confirmar, lá fui.

Após 4 horas de espera fui atendido, confirmada a suspeita e passada a receita, perguntei ao senhor doutor se me passava um dia ou dois para me recompor. O homem olhou para mim, torceu o nariz e declarou que isso dos dias é complicado, porque torna e porque deixa.

- Então o que é que você faz?

- Sou engenheiro informático, declarei. O efeito da palavra “engenheiro”, foi surpreendente, o homem passou do tom distante ao tom de igual para igual, afinal eu era um “engenheiro”.

– Bem senhor engenheiro, vou passar-lhe aqui uns dias! Afinal tudo se resolvia, o peso do engenheiro dera frutos, um homem risonho, despontava onde antes estivera uma criatura distante e bisonha. O atestado marcava 6 dias, que porreiro. Fiquei em casa um dia para recuperar e voltei ao trabalho, ainda não tive coragem de dizer ao senhor que não sou engenheiro.

Um abraço, deste vosso amigo

Barão da Tróia

32 comentários:

_estrelinha_ disse...

fui a 1º hj...lol..
passei para desejar uma boa semana, rechada de coisas boas
beijinhos

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Barão:

Lá diz o provérbio:
"Um burro carregado de livros é um doutor!"
Boa semana.

Um abraço,

Blossom disse...

Uma boa semana para ti Barão

Anónimo disse...

Bem na TReTA levastes com seis (6) dias .
Basta o CODIGO ENGENHEIRO e fostes tratádo como PM.
Maravilhas. touaqui42

Diabólica disse...

Barão,

Excelente descrição do mundo da saúde, ou melhor da "doença " em Portugal.

Concordo, inteiramente quando dizem que embora haja excepções, a grande maioria da classe médica em portugal.
Julga-se superior aos restantes mortais. É triste, que pessoas que trabalharam uma vida inteira, só porque não têm um curso superior sejam tratados abaixo de cão.

Isto mostra, no meu entender, falta de educação e de sensibilidade.

Uma vez que estamos aqui a falar de uma classe culturalmente mais elevada, então mostrem isso mesmo mas com educação.

Eu também já tive episódios caricatos em hospitais, deixo-te apenas o resumo de dois:

Tinha eu os meus oito anos, quando fui atropelada. Fui levada para o hospital e tinha um pé partido e o lábio todo rebentado.

Entrei para o balcão das mulheres, e só a minha mãe pode entrar comigo. O meu pai ficou desorientado à espera de notícias.

Passaram-se 3 horas e eu continuava com o pé, e já a perna toda inchada, e cheia de dores e com os lábios a sangrarem. A sala estava cheia, e existia inclusivé uma senhora que tinha a cabeça aberta.

Sabes o que é que os médicos estavão a fazer???
Estavão todos, em amena cavaqueira, e a comemorar o aniversário de um deles, enquanto nós aguardávamos.
A minha mãe já em pânico resolve vir dizer ao meu pai o que se estava a passar. Em boa hora o fez, porque o meu pai entrou por ali a dentro, e desde imcompetentes, irresponsáveis e filhos da ...., chamou-lhes de tudo. Ou seja, falou a linguagem deles, e eles colocaram-se então a trabalhar.
Dp mandaram-me para o Raio X, e a senhora que lá estava diz ao meu pai: "Pois é a sua filha tem um braço partido". Note-se que o que eu tinha era um pé partido, aliás notava-se logo pelo grande enxasso, e pelo facto de eu não me segurar em pé, mas enfim deve ter sido do champagne.

Outro foi quando tive uma pneumonia e fui internada, eu tinha que ter oxigénio pq sozinha não conseguia respirar.

Apenas retirava o aparelinho do nariz p tomar a medicação e comer a sopa.
Pois foi, isto ia-me custando a vida.
Então não é que num belo dia, ao fazer isto, a empregada de serviço desliga-me a botija do O2???!!!

A minha sorte foi a doente ao lado ter gritado por auxílio.

Mas, o mais engraçado foi a justificação que esta "BESTA" deu ao seu superior: " desliguei a garrafa pq a senhora não estava a usá-la e assim poupávamos."

Parece-te normal, a mim não!

Beijinhos.

chuvamiuda disse...

...........

muito bem Sr. engenheiro

sem mais

...............

Boa semana

Andreia do Flautim disse...

às vezes os médicos não têm culpa de serem muito poucos para os doentes que têm, ainda por cima com a oencerramento de alguns centros de saúde, a coisa piorou. Mas também os há que abusam dos privilégios...

Conceição Bernardino disse...

Divinal


Amigo,
Parte integral de liberdade
Alguém com quem saboreamos tudo
Expulsamos o preconceito, ambiguidade
A quem oferecemos o olhar mudo
Amigo,
Não importa quem és,
De onde vens
Se estás presente ou ausente!
Amigo,
Alguém que sinto
Que está sempre comigo...

Conceição Bernardino
Tenham uma boa semana com muito amor

Meus blogs http://amanhecer-poesia.blogspot.com

http://sentidos-visuais.blogspot.com

Anónimo disse...

Boa Miguel!

A Sonhadora disse...

Boa semana para ti também.
Beijinhos da sonhadora

isabel victor disse...

Gostei da visita ! Acredite, vale mesmo a pena ir a Belmonte ... a gastronomia compensa e todo o património envolvente é deslumbrante (Portugal no seu melhor! E viva Camões o maior dos portugueses ... depois do fundador da nacionalidade.)

O Museu judaico é realmente muito interessante, assim como a actividade do Centro de estudos que lhe está associado

Um abraço blogesférico

-pirata-vermelho- disse...

Muito bem, Senhor Barão! Mais uma vez...

BlueShell disse...

Muito oportuno este teu post, meu amigo!

Um beijo que não conhece distâncias…
BShell

Mendes Ferreira disse...

hum...........alguma dificuldade para abordar o tema...vivo no meio deles....

embora não sejam desta nova fornada

:))))))
____________tic tac _______


a agradecer a exposição.

e a deixar um abraço.

AnaCristina disse...

Ó Sinhor Enginheiro...

6 diaszitos? Belas vidas...

Cá trabalha-se, ao contrário de alguns colegas que resolveram pôr atestado para ir de férias para a neve... Claro que os médicos devem picar o ponto e já agora ser verificados todos os atestados que passam...

Deixemo-nos de indisciplina neste país da treta!qifr

lifeyes disse...

ehehheeh não digas, ele sgostam de viver na "ignorância" deles

Andesman disse...

Enganado e feliz resolveu o assunto. Tudo bem

sem-comentarios disse...

Os teus textos sarcásticos estão cheios de razão e com muita pinta :))**

O Micróbio II disse...

Eu estava, digamos que, lixado! Não sou engenheiro nem médico... :-)

Isabel-F. disse...

"Não me insurjo contra os médicos, insurjo-me contra privilégios de classe, contra a incompetência, contra a podridão que chegou a esta classe de mercenários encapotados, mais uma vez que me desculpem os bons profissionais que ainda os há...."

Tens toda a razão ...

Bjs

pechanense disse...

Bom, não és "Senhor Engenheiro" mas és "Senhor Barão" que, apesar de vivermos numa República (acho eu), também tem o seu valor!

Um abraço!

agua_quente disse...

Só posso dar-te razão, neste caso. De facto, nunca entendi os privilégios da classe médica. Problemas de países subdesenvolvidos, só pode...
Beijos

Humberto Neves disse...

E quando um doente entra nas urgências de um Centro de Saúde, antes do encerramento (que é às 20 horas), e pouco tempo de pois vem uma funcionária administrativa dizes que o senhor doutor/senhora doutora já não atende mais ninguém naquele dia?

js disse...

...e dentro dessa classe ainda há os que sendo de origem da provincia depois de terem ido estudar para uma grande cidade ...fazem-se citadinos e como tal acham que para voltar para o local de onde são originários devem receber recompensas ... FORÇ'AÍ!
js de http://politicatsf.blogs.sapo.pt

...o Ministro da Saude para perceber o estado em que se encontra a Medicina em Portugal bastava que tivesse num hospital , na sala de espera, durante 2 Horas... eu sempre que vou a uma consulta, num hospital ou num centro de saúde, com o meu pai de 73 anos , o tempo de espera nunca é inferior a esse tempo...

Filipe Freitas disse...

Boa, Barão !
Vim aqui "picar o ponto"... LOL... e desejar uma boa semana.
Abraço

eu mesma! disse...

não sabia que esteve quase a ser meu colega...
uma boa semana para si!

Savonarola disse...

Muito bem retratada, esta classe dos médicos: arrogantes, cheios de si, da sua importância, da sua superioridade face aos restantes e míseros mortais. Tenho tido, em geral, experiências desagradáveis com estes senhores e senhoras, especialmente nos hospitais, onde parece que "fazem o favor" de lá estar (talvez porque a clinicazinha privada dê mais algumas massas...).
Um pouco de respeito pelos utentes do Serviço Nacional de Saúde não lhes faria mal nenhum. Até porque, já agora, estamos todos aqui a pagar, não é?
Um abraço

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Barão:

O Estados Gerais desenvolve, por esta altura, uma luta sem tréguas contra a hipocrisia e a falsidade e a favor da justiça e da moralidade.
Diariamente surgem relatos que me envergonham de ser português.
Misturam-se conceitos profanos com argumentos religiosos... e já chega ao cúmulo de bispos compararem um aborto (seguramente feito por circunstâncias excepcionais) á pena de morte.

O contributo dos comentários de pessoas sãs de espirito e sérias perante a vida como o Barão, são o melhor "bálsamo" que poderá ser prestado.


Um abraço,

LUA DE LOBOS disse...

subscrevo inteiramente... já é altura de descerem do pedestal e tratarem as pessoas como gente.
xi
maria

Dae-su Oh disse...

Não me leves a mal, mas estes tratamentos preferênciais e distinções a quem tem canudos enoja-me. Belo médico!

Wellington Almeida disse...

Vá lá que não foi 'senhor doutor engenheiro'..rs Um abraço!

peace_love disse...

A culpa também é deste país onde uma pessoa licenciada é tratada quase como um deus, como se ter uma licenciatura fosse algo do outro mundo..