quarta-feira, novembro 15, 2006

Os Futuro são as Crianças!

O petiz aproximou-se sorrateiramente do pai, que distraído, enviesava umas piscadelas de olho ao jornal, por desfastio, já que recentemente as notícias eram sempre a mesma treta, crime, e mentiras.
- Pai qual é a diferença entre um Proxeneta e um Chulo?
- Disparou o pequeno à queima-roupa, deixando o outro atarantado e sem palavras, ficou embasbacado a olhar para o puto, que sorria com ar de diabrete, feliz da vida por apanhar o pai de calças na mão, salvo seja.
- Hã…hãn. – Pigarreou. – Ora bem, vamos lá ver, então, é pá isso são sinónimos, são palavras que significam o mesmo, percebes filho!
- Pai, dahhhh, isso eu sei, tenho 8 anos, sei muito bem o que são sinónimos, eu queria era saber o que é que fazem, como é, topas?
- Bem filho, ora basicamente são senhores que vivem à conta das senhoras, elas trabalham e eles usam o dinheiro delas, cobram uma taxa para as proteger, outra para as alimentar, outra ainda para as vestir, outra taxa para o calçado e alojamento, enfim elas tem de trabalhar.
- Pois pai é como diz o tio Zé, elas têm de dar o corpo ao manifesto!
- Pois, ora bem o teu tio… não deves ouvir tudo o que ele diz. Além disso apesar de serem sinónimos estas palavras, usam-se de modo diferente, quando estás a falar assim mais educadamente, deves sempre dizer Proxeneta, é mais correcto, Chulo é uma palavra feia, costuma dizer-se dos tipos que andam a viver à conta do nosso dinheiro mas não se diz, percebes!
- Ok, pai, já percebi!
Alguns dias depois, o pai é chamado à escola, a directora de turma queria falar com o pai porque o pequeno referira-se ao pai de outro colega, utilizando termos menos próprios. O pai estava espantado, o seu filhote apesar de ser um pestinha de primeira água não era mal educado, dizia sempre bom dia e boa tarde, cedia sempre a passagem aos mais idosos, respeitava os professores, enfim era o paradigma do miúdo do seu tempo, o que lhe teria dado, pensava o pai enquanto entrava no gabinete. Sentado numa poltrona macilenta e gasta de tanto uso, o miúdo folheava, com ar enfadado uma revista.
– Como está bom dia! – Atirara a professora
- Bom dia professora, então vamos lá a saber o que fez esse malandrete?
- A professora começou a explicar que numa aula, a professora da disciplina tinha pedido para descreverem a profissão dos pais e que um menino ao descrever o que o pai fazia, fizera rebentar de riso metade da turma, a professora perguntara o motivo da risota.
- O seu filho levantou o braço e disse que sabia palavras que queriam dizer o mesmo que a palavra que era a profissão do pai do menino, a professora perguntou quais eram e ele disse, Proxeneta e Chulo. Foi o que disse o meu pai, dissera o pequeno, a turma rompera às gargalhadas de novo a professora chocada enviara o pequeno logo ao gabinete da directora.
- Peço desculpa, senhora professora, nunca me fizera isto, posso leva-lo.
- Saíram os dois calados, o pequeno olhava para o horizonte adivinhando no cenho franzido do progenitor a bronca que aí vinha, chegados ao carro sentou-se na cadeirinha colocou o cinto e o pai arrancou. De imediato o pai olha para o retrovisor e declara.
- Com mil coriscos, o que é que te passou pela cabeça? Como é que foste capaz de dizer uma coisa daquelas? Já agora que raio é que o homem faz, em que é que trabalha.
- Então pai tu lembras do que disseste, que o Proxeneta era para quem a senhoras trabalham e cobra taxas, o Chulo era o que vivi a conta do dinheiro dos outros, pois o Pedrinho disse o meu pai vive do dinheiro dos outro que lhe dão para ele guardar, tem muitas mulheres e homens a trabalhar para ele e cobra muitas taxas, logo eu pensei que era sinónimo, choramingou!
- Mas que raio é que o homem faz és capaz de me dizer?
- É Banqueiro!
- A luz do semáforo estava verde, a chuva caí em grossas pérolas desse Outono mas o carro não arrancara, o pai soltava as mais grandes e poderosas gargalhadas que o pequeno já ouvira, timidamente até ele começara a rir, do outro lado da rua um polícia fazia soar o apito, lá arrancaram.
- Só tu, para me fazeres rir assim, filhote!


Um abraço, deste vosso amigo
Barão da Tróia

27 comentários:

João Moutinho disse...

Mas Barão,
Parece haver um problemazito com os banqueiros parece que eles querem guardar mas para distribuir (as mais valias) parece haver algum sururu.
Parece-me que o Sr. João Salgueiro talvez pense que o Pai daquel menino poderá ser o Sr, Primeiro M.

Cucagaio disse...

Sempre julguei que a profissão do outro visse a ser politico, mas enfim, banqueiro também serve. Já agora, gostei muito do promenor no regresso, do sentar na cadeirinha e apertar o cinto.

Miguel disse...

A verdade na boca das crianças!

Eric Blair disse...

a brincar a brincar...

eu mesma! disse...

até os putos topam à légua, mas confesso que pensei como o cucagaia que fosse um politico!

uma história muito bem contada como sempre.

Olha, convidei-te no meu blog, para nos contares as tuas 5 manias! Ah pois claro! não aceito recusas, queremos saber tudo...

Sofia.S disse...

Muito boa... as crianças são fenomenais!

deep disse...

Ora... não posso deixar de concordar com o pequeno!

js disse...

... este mundo é composto de "proxenetas" e "chulos" que vievem à conta dos "prostitutos" e DAS "prostitutas" que se matam a trabalhar...dando o corpo ao manifesto em multiplas funções...
FORÇ'AÍ!
js de http://politicatsf.blogs.sapo.pt

Anónimo disse...

Óh cum caraças nada melhor para começar o meu dia , que risada dei ao ler a desculpa do filho para os termos que utilizou.
Mas não é que o PUTO está certo .touaqui

chuvamiuda disse...

.................
verdade!!! sem crianças não há futuro!!!

e então elas andam cada vez mais certeirinhas
.................

;)

Abraço caro Barão

125_azul disse...

Os detalhes, são os detalhes que fazem a história deliciosa! E tentar adivinhar, será político, director de alguma instituição...? Demais!!!

Andreia do Flautim disse...

lol, realmente o menino tinha razão...

contradicoes disse...

Gostei francamente desta forma de chamar os bois pelos nomes. Um abraço do Raul

nene disse...

Looool!
Ora nem mais, a palavra certa no sitio certo!
Um beijinho:)

Sofocleto disse...

Isso não invalida que um banqueiro seja de facto um chulo!

Um abraço

missixty2000 disse...

Está mesmo muito bem apanhada!Realmente osbanqueiros são uns chulossssssssss!ehehehe
Puto esperto!

tron disse...

Entrada venenosa quanto baste, mas nosso dever como humanos é salvamos vidas em especial as das crianças seja de que modo for

chuvamiudinha disse...

Definitivamente, a voz das crianças é a voz de Deus! Abraço

Mixikó disse...

O puto está certo...eheheheh...deliciosoa esta história Barão

gato_escaldado disse...

Um filhote precoce, sem dúvida. Quem sai aos seus...

Abraço

Paulo Sempre disse...

A maioria dos pais acredita que falhará para com seus filhos a não ser que lhe ensine valores morais, que lhes mostre, constantemente, o que é certo e o que é errado. Praticamente, todos os pais, consideram que além de atender às necessidades físicas dos filhos cabe-lhe o dever principal de inculcar-lhes esses valores. Acreditam que, sem isso, os filhos cresceriam como selvagens de comportamento incontrolável, mostrando escassa consideração pelos demais. Essa crença nasce, em grande parte, do facto de a maioria das pessoas, na nossa cultura, aceitar, ou, pelo menos, receber passivamente, a afirmação de que o homem é pecador pelo nascimento, mau por natureza, criatura que se fôr treinada para a bondade irá mostra-se predatória, cruel, e mesmo homicida.
A Igreja, volta e meia, vem com a frase classica "Somos miser+aveis pecadores".
Que mundo cruel este em que vivemos.........

Bom "trabalho"
Abraço
Paulo

Filipe Freitas disse...

Os miudos agora parece que sabem mais que os adultos, ou melhor: não têm papas na língua !!!
Bom fim de semana.
Abraço.

Klatuu o embuçado disse...

JAJAJAJAJA!!! esse puto vai longe! :)=

Abraço!

O Micróbio II disse...

É chamad o "puto esperto"...:-)

Rosario Andrade disse...

Bom dia Barão!
...vou sempre daqui com umas boas gargalhadas para o dia!
Bjico!

A mim ninguem me cala disse...

Promovo já o puto a pirata!!!Bom fim de semana

tron disse...

De facto as crianças são o melhor no mundo mas em portugal fazem que tudo seja péssimo para as a crianças