segunda-feira, julho 10, 2006

O Ensino. (Humildes subsídios para a compreensão da estupidez endémica da Lusa gente. (IN)conclusão)

A reflexão que fiz sobre o estado do ensino, em Portugal, publicada aqui neste bloguelho desconsiderado, foi antes de mais a reflexão de alguém que conhece o meio, não pretendeu ser mais que isso, é uma reflexão empírica, que provavelmente nada valerá, os números são extrapolações minhas feitas a partir do universo de 2 ou três escolas que conheci, quem verdades científicas, vá fazer um estudo, e desminta estes números.
Esta reflexão, que outro mérito não tenha serviu, para uma catarse do próprio autor, redundante que isso possa parecer, talvez até egoísta. Fico contente porque imensos artigos que li posteriormente à publicação dos meus desabafos, são de gente séria e conceituada, que grosso modo e sem o saber concorda com aquilo que eu escrevi, o que aparentemente me dar um ar menos cretino, pelo menos assim penso.
Esta reflexão, pretendeu mostrar o desnorte e o desvario que 30 anos de políticos e políticas de merda, colocaram no Ensino. Este está aliás como outras vertentes desta nossa sociedade no mais absurdo e profundo cataclismo, a culpa resulta repartida por todos, o insucesso escolar, o abandono o miserando estado do Ensino é culpa de todos os agentes nele intervenientes, certo é que a sua culpa é relativa, uns serão bem m ais culpados que outros, mas deste processo ninguém sai isento e de mãos limpas.
Soluções para isto, desde logo é necessário um poder político forte e determinado, não esta corja de ineptos que cortejam os corredores do poder, um bando de incapazes bandalhos que deixou isto chegar a este ponto, o ponto da mentira, PORQUE ESTE PAÍS É UMA MENTIRA, ANDAMOS TODOS A FAZER DE CONTA, um destes dias vamos acordar da mentira e ver quão fundo estamos atolados na trampa, que nós nunca quisemos assumir.
È preciso que os pais tomem a educação dos filhos a sério e que se empenhem nela, é necessário que seja reposta a honestidade e o trabalho, é preciso que não se tenha medo de castigar quem prevarica, mas castigar à séria, não no faz de conta da treta, é preciso acabar com o facilitismo, é preciso acabar com as cretinices líricas, do está tudo bem, os meninos não são maus, a sociedade é que os faz maus.
È preciso que se aprenda a ensinar, para que possamos voltar a gostar de aprender.

Um abraço, deste vosso amigo
Barão da Tróia

10 comentários:

francis disse...

Bem, a Ministra da Educação conseguiu sumariar melhor que tu e em apenas uma linha, descobriu o grande problema da Educação em Portugal: Os Professores :-)
Esta tua conclusão tem tanto de excelente como de preocupante. Este país existe numa folha de papel. Aprendi-o há muito. E continuo à espera do dia em que os Politicos também serão chamados a responsabilidade devido à sua imcompetência.
Actualmente recebem medalhas!

Rafaela disse...

Sim, o país devia fazer um esforço, não só os professores, nem só os alunos, nem só os políticos, mas todos, enquanto nação. E esse esforço deveria, acima de tudo, ser bem encaminhado, para não se tornar, como até agora se tem verificado, inútil. É um gasto de energia e de recursos desnecessário... Além disso há que recolher os bons exemplos que nos vêm do exterior, de países que, não sendo reconhecidas como grandes potências internacionais a nível económico, nos demonstram que têm muitas capacidades para resolver certos e determinados problemas internos, como é o caso da educação. Há que aprender com esses grandes exemplos, porque é para isso que os exemplos servem - para aprendermos com eles...

Obrigada pela visita
Boa semana

an ordinary girl disse...

Estou especialmente de acordo com o francis: "continuo à espera do dia em que os politicos também serão chamados a responsabilidade devido à sua incompetencia".

Um beijo e boa semanaaaa

Carlos Carreira Afonso disse...

Caro Barão, também eu concordo plenamente com as observações pertinentes ke fazes!! Eu venho dizendo há alguns anos ke somos um País de "fachada", tentamos passar uma imagem muito bonita para o estrangeiro e no entanto há para aí tanta merda ke até dá dó!! Abraço...Carlos.

Leonoretta disse...

assino em baixo, barão.

abraço da leonoreta

Formiguinha disse...

Olá sr. barão! É só para lhe dizer que não vou fugir para o Brasil com a massa dos girassóis! LOL Infelizmente, paguei o saquinho das sementes e ninguém me vai dar nada em troca :D HAHHAH


Jinhos****

Aragana disse...

Muitas vezes sou criticada por levar a educação da minha filha "demasiado a sério"...

Eu nunca vou achar que a educação de um ser humano é em demasia...

Completamente de acordo com tudo!

"CRESCER... SEM LIMITES..." disse...

Li, gostei...
Concordo consigo quando diz:"É preciso que se aprenda a ensinar, para que possamos voltar a gostar de aprender."
Fernanda

Teresa Durães disse...

Desculpem vejo aqui pessoas a escreverem com os "k", o próprio Barão escreve " à séria" no seu artigo, começa por ser um mau início pela parte de professores, pais e cidadãos.

Pela minha parte continuo a dizer que o país inteiro está a demitir-se.

As eleições são democráticas, está no poder quem se votou.

Assisti a diversos seminários sobre educação pois trabalhei no ME.

Conheço os ciclos todos, reformas e contra-reformas.

Se pensam que a educação em Portugal está mal, vão ver as estatísticas.

O nosso 10º, 11º e 12º, faculdade está muito bom relativamente à Europa.

Onde peca a Educação em Portugal é no 7º, 8º e 9º ano.

Na minha opinião o problema começa no 1º ciclo e na componente de falta de apoio nas necessidades educativas.

As Escolas Privadas na sua grande maioria nem prestam. Por estatísticas afirmo e por experiência com filhos. Só a nível do 1º ciclo são melhores.

Quanto à falta de civismo neste país e de resposabilidade, se nenhum governo tem, é natural que mais ninguém o tenha.

Anónimo disse...

Meu amigo a educação desde 1974 é uma tara e por isso temos politicos de cá aquela palha que passaram no AD DOC de 1974/5/6 e hoje são chamádos doutores engenheiros e afins quando na realidade nem a 4ª.classe teem , mas como somos um país de doutores não se admire que hoje este país tenha fartos politicos que se atropelham uns aos outros.touaqui